A Lua Cheia de ontem assinalou, a nível pessoal tensões máximas entre sentimentos e razão, ideiais e interesses. A nível colectivo, registou-se uma grande quebra de confiança dos mercados devido à dívida grega (cujos juros a dois anos subiram ate aos 73 por cento), tal como previsto neste blog, no início do mês na coluna sobre o euro em Setembro.
Agora, e até ao Quarto Minguante, dia 20, as flutuações emocionais e financeiras dependem da partilha de informação e da tomada de consciência dos efeitos concretos provocados pela tensão da Lua Cheia. Essa tomada de consciência sofre já hoje uma aceleração devido à conjunção da Lua já em Carneiro, com Urano, e o seu quadrado a Plutão.
A impulsividade, energia, espontaneidade estimuladas pela Lua Carneiro, transformam-se, com o quadrado a Urano, em desejo de indepedência, rebeldia, comportamentos inconsistentes e numa vontade explosiva de começar algo de novo. Em termos colectivos, depois do choque da Lua Cheia, torna-se claro que os interesses das partes se querem sobrepor à defesa do interesse do que possa ser o bem comum. Um sindrome de “salve-se quem puder” pode permear a troca de informação sobre as diversas posições, negociações e estar em colisão com acordos, tratados e a necessidade conservadora de manter estruturas existentes.
O quadrado da Lua a Plutão, praticamente simultâneo acentua ainda mais as crises em curso, revelando factores gravosos, incitando a comporamentos compulsivos de impacto negativo, demonstrando que é aconselhável uma tranformação dos padrões de comportamento emocionais assentes em estruturas que não servem mais os propósitos evolutivos. Na crise financeira internacional, também estes aspectos da Lua, conjunta a Urano e quadrada a Plutão servirão para demonstrar a necessidade de inovação nas respostas á decadência de um sistema atingido por abalos sucessivos, num caminho de transformação que terá ao longo de 2012 vários pontos máximos de tensão.
Hoje ainda, um aspecto de Vénus em Virgem a Neptuno em Aquário divide-nos e exige um ajustamento da realidade amorosa ou financeira com a fantasia de fusão espiritual ou em sociedades ideais. Somos o que somos agora e no sistema em que nos inserimos e não como imaginamos que somos num mundo que não existe. Também a realidade financeira é o que é no sistema internacional existente e a sua alteração tem de passar por propostas bem assentes que atendam à crise em toda a sua complexidade. Este é desafio do aspecto de quincuncio entre estes dois planetas.

Para o Governo, os aspectos da Lua hoje são particularmente difíceis, não só porque por si já são promotores de tensão mas também porque caem em cima de pontos de tensão do próprio céu do Governo, ou seja duplas conjunções a Urano e quadrado a Plutão. As áreas em foco são múltiplas, desde as parcerias internacionais, as finanças externas, tratados e acordos existentes, os Media e Transportes, a função pública e os trabalhadores em geral, os recursos próprios do país e ainda a transformação da organização do território e das bases estruturais da governação. Dia cheio…