Estamos a avançar para um ponto extremo nas tensões de mudança a 1 de Novembro quando Urano retrógrado em Carneiro chega a uma quadratura exacta com Plutão, mais uma da série de sete que desde 2012 e até 2015 vão pontuar as rebeliões e transformações dos sistemas políticos e financeiros em crise. São ciclos lentos de planetas lentos e os efeitos já se fazem sentir e continuarão a fazer-se sentir para além do momento do aspecto exacto. Saturno em Escorpião até 2015 e o Nódulo Norte também em Escorpião reforçam a obrigatoriedade de reformulação de empréstimos, dívidas, partilhas, organização de poderes ou responsabilidades a longo prazo sobre bens partilhados. O eclipse da Lua Cheia em Carneiro, nesta semana que agora termina, marcou as dificuldades de conciliação entre os interesses pessoais e as leis ou acordos políticos ou financeiros. Ontem e hoje, a Lua em Touro não nos permite ignorar dificuldades financeiras, ausências de valores ou de segurança material a que nos agarramos. Em oposição a Saturno e ao Nódulo Norte, a Lua hoje confronta-nos de forma ainda mais deprimente ou pesada com as limitações impostas pelos poderes vigentes ou estruturas a que não podemos escapar. No entanto, um sextil da Lua a Júpiter em Caranguejo traz-nos a oportunidade de exprimirmos as inquietações e olharmos para as dificuldades com espírito aberto acreditando que em casa, em família ou como tribo ou nação podemos ter novo futuro.  O Sol ainda está em Balança em busca de compromissos mas dentro de três dias entra em Escorpião e tudo se torna questão de quem tem o controlo e como o vai exercer face a quem o desafiar.

astro_w2gw_45_carta_do_dia_hp.65671.1815