O mês começa com as expectativas e preparação do que começa de facto a acontecer a partir de dia 24. Tudo o que tem estado em processo de revisão desde finais de Abril, as mudanças estruturais em casa, no trabalho, na organização de vida, das coisas financeiras ou políticas ou na forma como nos coordenamos socialmente vai poder avançar depois de dia 24 não só porque é o dia em que Plutão entra directo em Capricórnio -depois de estar retrógrado nos últimos cinco meses – como também nesse dia temos uma Lua Nova em Balança. Esta Lua Nova, com o Sol também no primeiro grau da Balança, põe o foco na diplomacia, na coordenação de esforços, lança sementes de harmonia, procura acordos nas relações pessoais ou colectivas, paz nos conflitos e justiça na divisão de bens e tarefas, depois de, desde o final de Agosto, o Sol em Virgem ter permitido analisarmos bem tudo o que era preciso fazer, organizar, pormenorizar.
Assim, até ao Equinócio, temos o Sol em Virgem a terminar os preparativos antes do arranque, dia 24 para a nova ordem do Sol em Balança, Lua Nova  e Plutão directo. Logo no dia seguinte, 25, mas de facto activo dede dia 20 até ao final do mês, há um aspecto fortíssimo de expansão de perspectiva ideológica, ideia de verdade,  visão, liderança, revolução tecnológica ou inovação na abordagem das coisas. Trata-se de um trígono de fogo entre Júpiter em Leão e Urano em Carneiro que no contexto da Lua Nova e de Plutão directo faz com que aquilo que desejarmos possa tornar-se realidade, aquilo que criamos venha à luz do dia, aquilo que projectarmos tenha pés para andar, em grande, em estilo, sem constrangimentos, para o bem e para o mal e por isso é preciso escolher o lado do vento não vá as chamas queimarem as soluções. São vulcões que acordam. De facto trata-se de uma semana importante para desbloquear situações, eliminar estruturas limitativas, começar de novo com algo de novo como motor. 
Neste processo de revolução estrutural do final de Setembro, a afirmação das ideias é importante principalmente porque Marte entra em Sagitário dez dias antes, no dia 14 a dar o mote para o que temos de defender. Marte sai de um trânsito de tentativa afirmação cega de poder enquanto esteve em Escorpião- onde se cruzou com Saturno qual bomba por explodir na terceira semana de Agosto. O problema de Marte em Sagitário é o fundamentalismo com que podemos afirmar crenças e direitos, tanto a nível individual como colectivo. É preciso não esquecer que Saturno entra em Dezembro no signo do Sagitário onde vai permanecer até ao final de 2017 tempo de estruturação do saber e da forma como nos expandimos, mas também tempo de fundamentalismo ideológico, recessão económica, limites a actividade bancária e tempo de pôr em prática os conhecimentos acumulados. A entrada de Marte em Sagitário este mês vai dar o tom para essa nova ordem que Saturno trará nos assuntos regidos por Júpiter, agora em Leão a clamar reconhecimento da identidade individual ou colectiva, depois em Virgem onde se organizarão os princípios regentes.
De facto, os dias em torno de 14 são particularmente complexos e trazem confrontos entre palavras de paz, reações unilaterais e afirmação de poder. É que entre Mercúrio em Balança a pedir diálogo e relações equilibradas, Urano em Carneiro contrapondo iniciativas individualistas e Marte a passar do Escorpião para o Sagitário formam-se aspectos de grande tensão em que os impulsos podem ter consequências graves. É tempo para proceder cuidadosamente, escolher as palavras e calcular o impacto do que se diz, faz, pretende. Discussões pessoais ou conflitos colectivos só são ultrapassados com diplomacia detalhada e cálculos de ganhos e perdas bem feitos apoiados no trânsito de Vénus em Virgem.
Até lá e a pôr o dedo nas feridas temos a Lua Cheia em Peixes conjunta a Quíron no dia 8 que nos faz ver o que tem de ser sarado. Como Saturno está em trígono a esta Lua Cheia temos o apoio necessário para procurar melhorar condições pessoais, familiares ou para levar a cabo processos criativos ou de regeneração física ou espiritual.
É preciso não esquecer um ponto de fundo e que é até ao final de 2015 o Nódulo Norte está em Balança. O que nos deve guiar é a procura de paz, equilíbrio, justiça social. E se temos de o procurar é exactamente porque é o que nos falta….