A semana começa com alguma frustração e a noção de que as relações têm de mudar em profundidade e muito rapidamente. Nesta segunda-feira, pela manhã, a Lua em Balança em quadratura a Saturno em Capricórnio leva-nos a desejar paz, justiça, relações equilibradas e a constatar que as expectativas não serão satisfeitas a menos que aceitemos restrições, limites e uma noção de ordem não desejadas. Daí a frustração vir a ser tanto maior quanto a nossa incapacidade de esfriar emoções. De seguida, a Lua faz trígono a Marte em Aquário o que nos leva a querer deixar marca no colectivo, mostrar aos amigos o que sentimos, agir para ilustrar que não desejamos conflito,  mesmo que isso custe, e isto a caminho da madrugada de terça feira em que a Lua e o Sol se unem em Balança, em quadratura a Plutão em Capricórnio, com Mercúrio ainda em Balança mas já em oposição a Urano em Touro. O resultado é que estamos esta segunda feira no ultimo dia de um ciclo já que esta Lua Nova de Balança nos exige estar em relação de uma forma profundamente diferente do que tem sido. Casamentos, acordos, sociedades, tratados, o que partilhamos, a medida em que partilhamos, as estruturas de partilha, as dívidas, ónus e encargos emocionais, financeiros ou  regime de poder das relações vão entrar numa nova fase e para não sermos surpreendidos, o melhor é sermos nós próprios a liderar os processos. Vénus, regente da Lua e Sol em Balança está em Escorpião, regido por Plutão ao qual Sol e Lua fazem quadratura, em quadratura também a Marte em Aquário. Esta posição da Vénus dá-nos a chave da Lua Nova: Apesar de só sentirmos que existimos como reflexo dos outros, não vale a pena empenhar-nos passional ou cegamente  por aquilo que achamos que nos é devido. Melhor fazer bem os cálculos, com sentido prático e livres para mudar de paradigma.

Anúncios