Na Lua Nova de ontem, em Escorpião, lançamos as bases de um ciclo de regeneração. Hoje, com a entrada da Lua e de Júpiter em Sagitário, passamos ter asas para voar rumo a novos interesses e perspectivas. A última vez que Júpiter esteve em Sagitário foi em 2007 e a vez antes dessa, em 1995, ciclos de 12 anos a partir dos quais expandimos o nosso conhecimento, ideais, abrimos horizontes e investimos na verdade e no futuro, livres das sombras e  amarras do Escorpião.

Para onde vamos –  neste grande ciclo que hoje inaugura – será mais nítido no próximo dia 23, quando o Sol entrar em Sagitário, no grau que Júpiter e a Lua hoje ocupam.  Será uma Lua Cheia, com a Lua em Gémeos, oposta ao grau em que está hoje, a mostrar-nos todas as hipóteses que desde já estão a abrir.  Temos asas para voar para lugares, relações e valores novos a que teremos de nos abrir por força da oposição de Vénus retrógrada em Balança a Urano retrógrado em Carneiro, ambos em aspectos que estimulam positivamente Marte em Aquário a exigir impacto e afirmação dessas novas circunstâncias. É tempo de viajar física ou mentalmente, rejeitar medos e amarras e abraçar novas possibilidades. Os resultados estarão à vista em 2020 quando Júpiter se unir a Saturno e a Plutão em Capricórnio e se estabeleça uma nova ordem ou estruturas de funcionamento, baseadas no projecto a que agora nos dedicarmos. É de pensar bem…

Imagem- Amy Judd

Anúncios