2019 vai ser um ano de transição. Não podemos contar com estar na posse de todos os dados para o estabelecimento de uma nova ordem, uma nova organização, uma nova estrutura doméstica, profissional ou   política antes de Janeiro de 2020 e por isso, tudo o que se passar em 2019 será o caminho, mais ou menos complexo, para lá chegarmos. O objectivo será sempre o de alcançarmos maior segurança emocional, em casa, em família, nacional, mais ainda porque muitos dos valores que julgávamos seguros podem vir a ser abalados. Quanto maior a flexibilidade de que formos capazes, mais fácil aproveitarmos oportunidades de inovar em vez de nos agarrarmos ao que terá de passar a fazer parte do passado. Vai haver bastantes desafios e o calendário de elipses, movimentos planetários e aspectos mais prementes é resumidamente o seguinte, até Julho de 2019:

Janeiro: A Lua Nova e eclipse parcial do Sol no dia 6 de Janeiro, a 15 graus de Capricórnio, entre Saturno e Plutão dá-nos logo no arranque do ano muita informação sobre o que está para vir. Capricórnios, Caranguejos, Carneiros e Balanças do segundo decanato são quem mais tensão pode sentir mas há que aproveitar para planear a médio e longo prazo. As discussões são prováveis com Mercúrio em Capricórnio em quadratura a Marte em Carneiro.

Já a 21 de Janeiro, o eclipse parcial da Lua em Leão, oposta ao Sol em Aquário, depois de um quadrado a Urano e com Marte em trígono a Venus e Jupiter em Sagitário mostra-nos que largando amarras e egocentrismos estamos no bom caminho para fazer os projectos avançar mas tudo o que for apenas de interesse pessoal e não contemple o interesse colectivo está condenado a frustração com Marte e Saturno em quadratura. Carneiros do segundo decanta e Leões e Aquários do primeiro decanato têm que estar prontos a rever posições e emoções!

A segunda quinzena de Fevereiro é mais turbulenta que a primeira.No dia 18 Venus faz conjunção a Saturno, depois dia 18 faz conjunção a Plutão, isto com Marte recém entrado em Touro que é regido por Vénus e o Sol quadrado a Urano. Resultado, percebemos que aquilo a que dávamos valor e seriam apostas seguras tem de se adaptar a uma nova realidade e estrutura. Quando mais depressa percebemos melhor porque em Março Urano entra em Touro, no dia 6, que coincide com uma Lua Nova conjunta a Neptuno em Peixes e confusão pode ser enorme…

São os Peixes do início de Março e os Capricórnios do último decanato quem mais deve prestar atenção às suas opções aceitando que a flexibilidade é factor para ultrapassar crises de valores ou mudanças estruturais em casa,  no trabalho ou na ordem social e política.

Esta agitação começa a abrandar em Abril, ou melhor, a partir de Abril temos de começar a interiorizar o que tudo que tem estado a mudar representa de facto e como vamos incorporar essas transformações-  antes de prosseguir com outras, a caminho dessa nova ordem de vida de 2020. A 10 de Abril Júpiter entra retrógrado em 24 graus de Sagitário, a 25 de Abril Plutão entra retrógrado a23 graus de Capricórnio e a 30 de Abril Saturno começa também um período de retrogradação a 20 graus de Capricórnio.

Para todos sob os Céus, a expansão e a organização entram em modo de revisão e o que formos fazendo até que esses três planetas voltem a estar directos respectivamente a 12 de Agosto, 4 de Outubro e 19 de Setembro são apenas correcções de rumo e não os motores a fundo unidirecionados. Isso só acontece no Outono para se chegar a Janeiro de 2020 com os propósitos afinados e a capacidade de fazer revoluções reais. Neste período serão os Sagitários, os Gémeos, os Capricórnios e os Caranguejos quem mais trabalhos de casa terão de fazer.. É de notar que no dia em que saturno entra retrógrado, 30 de Abril, está exatamente em oposição ao Nódulo Norte, a puxar-nos para o que era passado e a que ainda estamos agarrados, mesmo depois de em Março e princípio de Abril Plutão ter também feito conjunção ao Nódulo Sul da Lua.  São sinais muito fortes de que a segurança emocional, familiar, doméstica ou nacional a que aspiramos exige toda uma outra organização de coisas que temos de rever ate ao Outono para então podermos começar a criar novas bases, novas regras adequadas ao que se pretende de futuro no inícionde 2020 quando Saturno e Plutão se encontrarem a 22 graus de Capricórnio.

Sem podermos avançar, apenas podendo corrigir, temos em Maio trânsitos de Vénus em Carneiro em quadratura a Saturno e a Plutão e em conjunção a Urano que podem trazer alguma instabilidade a quem não estiver pronto a encontrar novos valores de salvaguarda. Pode ser um mês de grande actividade financeira, com altos e baixos e flutuações que de facto têm como ponto de partida a semana de 21 de Abril, em que o Sol em Touro faz conjunção a Urano mesmo antes das retrogradações de Saturno e Plutão, sendo que a instabilidade se prolonga por Maio ao mesmo tempo que se afirma a necessidade e vontade de encontrar um porto seguro com o Sol e Mercúrio em Touro no terceiro decanato em trígono a Saturno e Plutão em Capricórnio.

Junho pode ser bastante dinâmico porque por um lado com Sol e Vénus em Gémeos estamos abertos a várias opções mas por outro estamos também a cortar amarras e bloqueios com Marte em Caranguejo a começar por fazer conjunção ao Nódulo Norte dia 13 dando a firmeza para tomar decisões de futuro e fazer oposição a Saturno a 15 e a Plutão a 20 como consequência dessa tomada de posição. Os Caranguejos que deitem mãos à obra, os Capricórnios que não resistam e os Balanças e Carneiro que encarem a realidade e abram mão de velhos equilibrios de relações e vontades cegas.

Os resultados dessa re-orientação de vida e padrões de segurança que desenvolvemos desde Janeiro começam a tornar-se evidentes nos eclipses total do Sol em 2 de Julho a 10 graus de Caranguejo e parcial da Lua dia 16 de Julho a 24 graus de Capricórnio.  Saturno e Plutão opostos ao Eclipse do Sol com Saturno conjunto ao Nódulo Sul mostram a dificuldade desses passos numa nova direcção mas tomar-la é inevitável. Os últimos seis meses do ano são a preparação final para que em Janeiro de 2020, mesmo com algum custo possamos singrar individual e colectivamente em novos paradigmas.

Bom Ano!!!