Podemos hoje dedicar-nos a dar forma ao que sonhamos para a casa, família, paz de espírito, apesar de haver ainda muita coisa por acabar de resolver. É como se em simultâneo estivéssemos a olhar para o futuro mas tivessemos os pés ainda presos no passado. Mas ambas as direções têm de ser seguidas porque só conseguiremos abrir novas janelas se foros fechando portas e libertando amarras. Isto aplica-se a questões domésticas e nacionais, com Marte em Carneiro em quadratura ao Nódulo Norte que aponta futuro e naturalmente em quadratura ao Nódulo Sul em Capricórnio que simboliza as estruturas  pessoais e políticas de que ainda estamos dependentes  e que, com Plutão e Saturno, nesse signo estamos a revolucionar. A Lua Nova do início da semana, Imbolc celta, Porco chinês, assinalou um virar de página e uma nova narrativa que temos de construir para nós próprios e para o colectivo. O problema hoje é a tentação para nos perdermos em fantasias do que há de ser, com a Lua em conjunção a Neptuno que por sua vez está em quintil a Vénus. Só sentido prático, capacidade de investir com seriedade no futuro e determinação em fechar assuntos há muito pendentes  é que conseguimos gerir a polaridade que agora nos angustia. Urano, Quíron, dentro de dias Marte e Mercúrio estão todos no grau 29 dos signos que transitam. São essas energias que devem chegar a termo para dar lugar a um novo dinamismo no caminho da nossa segurança emocional ou nacional.