Somos o que somos e não temos de ser melhores ou há que ir ao fundo de nós próprios e responsabilizar-nos por uma transformação construtiva?  A auto-satisfação basta ou é preciso auto- crítica e algum esforço? Amor próprio, orgulhoso, sem limites ou a consciência de uma ordem maior que exige a busca da perfeição? Estas são questões que se podem levantar hoje com o Sol e Vénus conjuntos em Leão – um estímulo à festa, amor, criatividade e muito narcisismo – mas também o sentimento que nada disso é gratuito e que tudo exige verdade, responsabilidade, e transformação, pelo  quincúncio a Saturno e a Plutão em Capricórnio. A resposta está para vir na Lua Cheia de quinta-feira mas já hoje temos de encarar a polaridade entre o que dizemos de forma egocêntrica o impacto que isso tem em quem nos rodeia, quando a Lua entrar em Aquário e fizer oposição a Mercúrio recém entrado em Leão. O confronto entre Interesses individuais e impactos colectivos vai assim num crescendo  até quinta feira com um primeiro grande teste ao diálogo já no final do dia de hoje. A chave está em encontrar novos valores para defender porque tanto a Lua como Mercúrio vão fazer quadratura a Urano em Touro. Não é uma questão de ceder mas sim de inovar soluções.