Somos apanhados de surpresa, sujeitos a situações novas e temos de ajustar-nos ao que não estava na agenda mas também é possível que o desejo de apoio não seja satisfeito e que algo ou alguém nos enerve e dê vontade virar costas. No entanto, o bom senso e sentido prático do trígono dos planetas em Virgem aos planetas em Capricórnio pode prevalecer e contrabalançar a quadratura da Lua em Aquário a Urano em Touro. A chave está em discernir o real do imaginário e harmonizar sentido  crítico e determinação com sentidos difusos do que seria o ideal com os planetas em Virgem em oposição a Neptuno em Peixes: só assim conseguimos tornar o ideal real o que também é uma chamada de atenção para não sermos apenas matemáticos mas para vermos  a beleza das equações. O problema está no eco que procuramos às metamorfoses dos últimos dias. Insuficientes ou excessivas,  excessivas,  estamos num dia de ajustamento entre a maneira como nos projectamos e novos valores que têm de fazer parte do pacote.