Medir forças mas não resistir a mudanças nem à abertura a novos valores são os desafios desta segunda-feira em que o Sol e Saturno em quadratura fazem um braço de ferro entre os equilibrios de relações existentes na Balança e a ordem estrutural do Capricórnio e em que a Lua em Aquário – que simboliza a nossa procura de eco no colectivo – está condicionada pelas quadraturas a Mercúrio em Escorpião e a Urano em Touro – estes opostos- que nos indicam que é preciso discutir a fundo as questões e estar aberto á adoptação de novos valores – porque o que a Lua, com instinto e desejo no Aquário, o que procura é exactamente a inovação.

Essa expectativa do novo não vai ser já hoje satisfeita. De facto, vai ser necessário esperar até pelo menos que o Sol faça quadratura a Plutão também em Capricórnio, na Lua Cheia do próximo dia 13, para que seja mais claro o horizonte depois do extremar de posições entre o Sol que vai estar em Balança a avaliar  a possibilidade de alianças e consensos e a Lua em Carneiro a impelir à iniciativa própria, individualista, ambos em tensão com Plutão em Capricórnio que simboliza as grandes forças estruturais de que dependemos. No caminho até essa Lua Cheia de 13 para 14, há um grande trabalho a fazer que é o de entender o que nos vai dar a longo prazo maior segurança emocional, familiar, doméstica, nacional.O Sol em Balança está desde o fim-de-semana e até amanhã em quadratura ao Nódulo Norte em Caranguejo o que nos faz sentir numa encruzilhada entre os equilibrou de relações e de forças de poder que tinhamos e a necessidade de avançar para outras bases de segurança. Como será apenas no fim de Outubro, na Lua Nova de dia 28, que Marte activa essa mesma quadratura ao Nódulo Norte, com Sol oposto a Urano, a tensão entre o passado e o futuro, o controlo e a abertura, vai persistir e obriga a uma caminhada cuidadosa e pragmática com vista a encontrarmos novas bases de relacionamento e organização estrutural sem perder a face nem a perspectiva que estamos na via certa.