A semana começa com frustração porque tudo o que queremos resolver no que toca a relações pessoais, financeiras ou políticas choca com resistências maiores e o único escape é arranjarmos quem nos oiça ou grupos em que nos sintamos integrados. É Marte em Balança em quadratura a Plutão em Capricórnio e trígono à Lua em Aquário que nos leva a sentir a violência dos bloqueios e o alívio do apoio colectivo mas o facto é que a luta que devemos levar por diante não é essa nem é agora. Com Sol e Mercúrio retrógrado em Escorpião – que Marte e Plutão regem- o trabalho a fazer é o de aprofundar as questões, perceberemos que podemos ou não fazer, o que controlamos ou não e qual a lógica a seguir em tudo o que tenha a ver com o que partilhamos: sexo, heranças, empréstimos e mesmo as questões transcendentes de morte e renascimento que partilhamos com a humanidade inteira. Como aproveitamos Mercúrio retrógrado é a chave dos desenvolvimentos só possíveis a partir do fim do mês quando entrar directo. Assim, não há que ter pressas mas há que agir em profundidade não esquecendo que o objectivo é o de conquistarmos nova segurança emocional, doméstica, familiar,  com o Nódulo Norte em Caranguejo, hoje trígono ao Sol em Escorpião.  A mente, a razão, a capacidade de investigar devem dominar os impulsos, mesmo de Vénus em Sagitário nos faça acreditar que no Céu não há limites.