Pesquisar

Céus!!! Rosita Iguana

Os Astros dia a dia

Etiqueta

Urano em Carneiro

Sexta, 20/2/15- Prontos para a acção

Hoje e um dia importante que abre portas à acção. Marte, Vénus e a Lua – esta só as 23.14 GMT- estão agora em Carneiro, onde já se encontra Urano a dar ímpeto à mudança e tudo se torna mais decisivo . Com a Lua neste signo ambicionamos projetos novo, com Vénus sabemos exactamente o que queremos, com Marte estamos prontos a levá-los por diante. Para a semana Vénus e Marte estarão em trígono exacto a Saturno em Sagitário e torna-se possível estabilizar os princípios ou regras com que vamos gerir as novas iniciativas. Mercúrio, que rege a comunicação necessária a levar a cabo quaisquer empreendimentos ou negociações está bem posicionado, em Aquário, em sextil a Saturno e nos próximos dias também faz sextil à Vénus e a Marte, o que permite articular publicamente, comunicar ao mundo, posições, diferenças e mudanças, já que Urano, regente de Aquário está em Carneiro, em trígono a Leão e quadrado a Plutão, a incitar a expressão das verdades próprias e a causar a tensão estrutural para que haja mudanças profundas nos sistemas.
Com tanto Fogo de Carneiro, Leão e Sagitário nos Céus, também a Terra arde com criatividade e necessidade de purificação do velho para, com entusiasmo, se dar lugar ao novo. O problema está na resistência dos poderes estabelecidos e na tensão com Plutão em Capricórnio que revela o que não está bem mas simultaneamente exige um controlo pesado dificilmente compatível com a febre da quadratura de Urano. Para a semana, primeiro a Lua, e depois Vénus e Marte vão juntar-se a Urano e fazer trígono a Júpiter e quadratura a Plutão- há que preparar desde hoje esse braço de ferro. Mas para sair das tensões, a bem ou a mal vai ser sempre preciso encontrar um equilíbrio, pela mão do Nódulo Norte em Balança, e um ideal a defender com o Sol e Neptuno em Peixes.

astro_w2gw_125_carta_do_dia.61784.46572

Quinta, 24/11- Revisão em véspera de eclipse

Em vésperas de um eclipse potente do Sol podemos já sentir que vem ai o fim de um conjunto de circunstâncias ou que vai haver mudanças fortes na forma como pensamos.  A Lua ainda em Escorpião dificulta ainda libertarmo-nos do controlo da situação ou perturba-nos pela falta de segurança pela qual reagimos impulsivamente. Mas,  já hoje, com a entrada de Mercúrio, o planeta da comunicação e das trocas em fase de retrogradação até 15 de Dezembro, vamos perceber que há que preparar a mudança, rever uniões, documentos e contractos, estar pronto para aceitar atrasos em viagens ou contactos e saber ter paciência para cuidadosamente idealizarmos a nova fase que se poderá concretizar em Dezembro.  A ajudar a lidar com os detalhes está Marte em Virgem, signo regido por Mercúrio, enquanto que Vénus, tal como o Sol e a Lua em Sagitário, estimula o diálogo sobre os novos conceitos a desenvolver na prática, quando os planetas entrarem em Capricórnio.

O dia começa com um quincúncio do Sol e Júpiter retrógrado em Touro que nos leva a sentir uma clivagem entre a vontade de nos expandirmos sem limites e a noção desses mesmos limites. É possível que nos manifestemos exaltadamente contra imposições externas mas o objectivo final é encontrar o equilíbrio entre os ideais e a realidade. Um paralelo de Mercúrio a Vénus, pela tarde faz com que  seja mais fácil partilhar reflecções e ideais e, como Mercúrio está retrógrado, podemos rever valores e contactos antigos e avaliá-los a nova luz.

Nos horóscopos da zona euro também o eclipse de amanhã deixa já antever hoje que é tempo de mudança nos sistema financeiro da união e que a situação do Euro tem de ser sanada já que o Sol e Urano fazem trígono à Lua natal da moeda única.

No horóscopo do governo de Passos Coelho também o eclipse de amanhã se faz hoje sentir já que o Sol está oposto ao Marte natal num climax de conflitos com os parceiros sociais e sendo os transportes, a educação, a banca, correios, comunicações e os media ( Casa III) os mais envolvidos. É também de esperar com este eclipse a conclusão de situações de reavaliação ligadas a qualquer um dos sectores acima mencionados, apesar de não serem ainda visíveis já que Marte transita ainda a Casa XII tornado sigilosa a matéria. Conflitos com parceiros externos por causa da dívida ou problemas nos mercados são igualmente uma consequência provável dos trânsitos do Sol em oposição a Marte.

De referir ainda que Urano ao estar agora e até 10 de Dezembro no grau 0 de Carneiro , retrógrado activa todos os aspectos de rebelião no Médio Oriente accionados pela primeira vez em Março. Assim, a escalada de violência no Egipto  e na Síria a que se assiste agora e a possível contaminação a outros países quando Urano entrar directo conjunto a novo eclipse a 10 de Dezembro, enquadram-se no simbolismo tradicional do planeta da inovação, revolta e liberdade em trânsito no signo dos novos princípios e da guerra.

Quarta, 19/10- Receios e contestação

Não há grandes mudanças hoje no céu, apenas a continuação da conjuntura da semana, dominada pelo trígono de Jupiter retrógrado a Plutão que se prolonga até dia 28 e que ilustra a preparação de um processo de transformação das regras que, a nível pessoal, organizam aquilo que temos em comum outros e, em termos colectivos, políticos e financeiros, gerem poupança e dívida, riqueza e partilha de riscos. Nessa conjuntura, Urano é também a chave da contestação social.

A Lua, desde ontem em Caranguejo, sublinhando as nossas carências de segurança e necessidade de ordem faz hoje dois aspectos tensos. O primeiro, uma quadratura a Saturno em Balança, traz alguma negatividade emocional face às respostas que recebemos dos outros ou pessimismo quanto ao equílibrio financeiro. O segundo aspecto, uma quadratura ao Sol também em Balança, traz confrontos nas actividades sociais, rebeldia contra o status quo e conflitos internos entre a vontade e os nossos hábitos subconscientes.

É de referir o longo trânsito de Urano retrógrado nos primeiros graus de Carneiro, estimulando rupturas, contestação social e exigindo inovação e resposta às necessidade individuais. Este trânsito pode ser extremamente criativo ou altamente perturbador. A última vez que Urano entrou em Carneiro foi em 1928, estando nos primeiros graus em 1929 quando ocorreu o crash da Bolsa de Nova Iorque, o que deu início à Grande Depressão e ao crescimento dos movimentos fascistas em Itália e na Alemanha. De 1931 a 1933, Urano e Plutão fizerem uma série de quadraturas tal como já começaram a fazer este ano e voltará a acontecer até 2015. Nessa altura do século passado, Plutão estava em Caranguejo, exactamente no signo oposto ao qual se encontra agora e Saturno estava em Capricórnio, onde Plutão transita agora.

Que leitura fazer desta dansa planetária? As quadraturas de Urano a Plutão traduzem-se históricamente em rupturas dos tecidos sociais com base em questões financeiras. Na altura do Crash de 1929, Plutão em Caranguejo levava a extremos a insegurança pessoal e doméstica por razões financeiras e politicas enquanto que Saturno em Capricórnio marcava a força da ordem e do poder. Urano em Carneiro precipitava então os acontecimentos e levava a agitação social tal como o está a fazer agora. A diferença está por isso, no trânsito de Plutão agora em Capricórnio que leva a extremos a necessidadade de novas regras para as estruturas de poder, politico ou financeiro e em Saturno, agora em Balança, que exige equilíbrio e justiça nas relações pessoais, diplomáticas ou em qualquer organização. Enquanto não chega a segunda quadratura a Plutão em Junho de 2012, (a primeira teve lugar este Verão, em Julho e Agosto- pontos crise do orçamento americano, tumultos em Londres e na Grécia) a presença de Urano nos primeiros graus de Carneiro não vai deixar de estimular as manifestações de contestação ao sistema e à forma estrutural de resolver a crise.

Apesar da contestação, um trígono de Jupiter retrógrado em Touro a Plutão natal em Capricórnio no horóscopo do Governo de Pedro Passos Coelho permite progresso na transformação das regras orçamentais de forma a permitir poupança enquanto a Lua em Caranguejo na Casa XI projecta insegurança quanto ao acolhimento das propostas governamentais pela sociedade em geral.
Nos céus da Zona Euro, o foco está na dívida grega hoje com dois aspectos da Lua a Plutão e a Urano que acentuam a tensão com os parceiros e o problema da especulação.

Segunda, 19/9- A força da mudança

O quadrado de Vénus a Balança a Plutão em Capricórnio, activado ontem e em acção até amanhã provoca percas e transformações financeiras e nas relações emocionais. É o momento de reorganizar as finanças, tanto a forma como adquirimos bens como a sua contabilidade. No entanto, as dúvidas sobre como o fazer ou sobre o futuro material são grandes, devido a presença da Lua em Gémeos.

A ambivalência de propósitos, a necessidade de especulação sobre as possibilildades em jogo e a falta de bases para que se tire conclusões são exacerbadas por esta Lua até ao final do dia quando a sua conjunção ao Nódulo Lunar Sul agrava o pessimismo e a necessidade de segurança em valores tradicionais. Logo de seguida, um trígono a Saturno em Balança permite estabilizar ideias sobre como estruturar as relações.

A acção torna-se possível terça-feira. Marte está prestes a entrar em Leão, amanhã, renovando vitalidade e propósito, mas antes é necessário reconhecer através dos aspectos de Vénus a Plutão, as mudanças essenciais a desenvolver e explorar intelectualmente com a Lua em Gémeos os vários caminhos possíveis.

Depois das inicitivas e surpresas no âmbito financeiro do fim de semana acentuadas pela oposição de Vénus a Urano que culminaram ontem com a proposta de Obama sobre uma taxa sobre os ricos, o quadrado de Vénus a Plutão vai provocar crises diplomáticas em que as questões financeiras são a chave. O céu da União Europeia é particularmente atingido por este aspecto, o que naturalmente se insere na crise em curso do Euro. A entrada de Marte em Leão, em oposição ao Marte natal da adesão da Grécia,regente da VII provome hostilidade, conflitos, arrogância, faltas de consideração na relações entre Atenas e os seus parceiros comunitários, sendo por isso de prever um agravamento da questão grega nos próximos dias.

Em Portugal, a Lua em trânsito na Casa X , em Gémeos, cataliza divisões no seio do Governo, em que os propósitos de estabilização e poupança financeira são o tema perturbador. Vénus conjunta ao Urano natal traz novas revelações e perturbação com as finanças do sector público e necessidade de transformação da legislação interna e de acordos mais vastos, no sentido da contenção das despesas.

Sábado, 17: Afirmação e instabilidade

Dizer o que se pensa, com toda a certeza de que a razão está do nosso lado, e fazê-lo com tal ímpeto que até parece que afinal pensamos o que dissemos primeiro é o mecanismo exacerbado pela semiquadratura hoje de Mercúrio em Virgem a Marte em Caranguejo. Os pormenores das questões dómésticas tendem a ser o tema central mas com a Lua em Touro, as finanças privadas ou públicas podem mesmo ser a questão mais debatida, depois da excitação dos mercados nos últimos dias devidos aos aspectos mercurianos.
No entanto, a confusão domina mesmo os debates mais honestos. Marte e Neptuno em aspecto simultaneo com Mercúrio tolda a afirmação e a compreensão objectivas e idealiza as possibilidades de progresso.

Notícias e revelações dos últimos dias, sobre questões diplomáticas e financeiras continuam hoje a estar em foco podendo mesmo haver novas surpresas. Vénus em Balança oposta a Urano em Carneiro fomenta rupturas nessas áreas, no plano internacional, enquanto no plano pessoal a tendência é para as acções impensadas e impulsos sem consideração, contra a estabilidade das relações. A instabilidade causada por este aspecto, que se prolonga ainda amanhã, sofre ainda da tensão causada pela semiquadratura de Saturno em Balança, a Quiron em Peixes que ilumina a dificuldade de nos fundirmos emocionalmente devido aos limites impostos pelos parceiros.

Na cena internacional é de esperar a continuação de imprevistos nas relações políticas e financeiras, sendo nos Estados Unidos, pelos aspectos de Vénus que a agitação astral é mais potente.

Em Portugal, hoje e amanhã as restrições financeiras, reformas da administração e dos Media, Transportes e Educação são o ponto central, apesar de ser fim-de semana. A oposição de Vénus a Urano e os restantes aspectos acima descritos prometem surpresas financeiras e tensão entre os parceiros internacionais e o potencial de riqueza do país. Esta tensão irá num crescendo até sexta-feira próxima.

Sexta, 16/9: Surpresa e mudança

Hoje temos os sinais do que vai ser o fim de semana e o que estará em cima da mesa na segunda-feira. Em jogo estão uma sucessão de aspectos de Vénus, planeta do amor e das finanças ao Urano das surpresas e ao Quiron das feridas que têm de sarar. A volatilidade e a ansiedade podem ser uma forma de expressão destes aspectos mas a iluminação e a recuperação são maneiras mais inteligentes e proveitosas de lidar com as energias no ar.
Vénus está em trânsito, desde ontem, no signo da Balança apelando ao equilibrio de forças, à justiça nas relações e a acordos sobre o valor correcto a atribuir tanto aos bens materiais como às emoções. Ao tocar Urano, hoje em paralelo e amanhã em oposição exacta essa pulsão de equilibrio é destabilizada por acontecimentos imprevisiveis, respostas emocionais impensáveis, excentricidade social ou alterações do estado financeiro abruptas e decisões materiais radicais. Sexualmente, a tendência é também para a irresponsabilidade nas relações devido à urgência das pulsões. Ao tocar Quiron, em quincuncio, temos ecos de sentimentos antigos que ao vir a tona reacendem dores profundas, disfunções emocionais ou dívidas financeiras que temos de resolver antes de seguir em frente.
É a questão do amor próprio e dos nossos valores que são de novos feridos ou rebaixados e que de uma forma dinâmica temos de ultrapassar. Face a estas perturbações de Urano e de Quiron, o desafio é garantir a serenidade nos própositos estabilizadores de Vénus, num novo equilibrio.

E Plutão entra directo. O mais pequeno dos planetas que há mesmo quem conteste ser um planeta, não deixa, pelo tamanho ou título, de fazer sentir a sua passagem pelos signos e a alteração da sua moção.
Retrógrado desde 18 de Abril, deu-nos até agora a possibilidade de interiorizarmos a necessidade e a forma como prosseguir o caminho de alteração das estruturas de poder, politico, financeiro, familiar ou pessoais que iniciou com a sua entrada em Capricórnio em 2008.
A sua trajectória é o pano de fundo sobre o qual se agitam as diferentes energias de liberdade uranianas, de contração saturninas, de expansão jupiterianas que regem as interacções globais e que pontuam os grandes ciclos da história individual de cada um. Na conjuntura actual, a entrada de Plutão directo permite o retomar de processos transformadores que respondam às necessidade de justiça social (Saturno em Balança) e possibilidade de liberdade de iniciativa social (Urano em Carneiro), reformas, catalizadas hoje pela oposição da Vénus a Urano, num processo em curso que durará até 2015 mas que tem em 2012 as maiores tensões.

No âmbito da crise financeira europeia, esta sexta-feira traz maior instabilidade aos mercados, grande volatilidade e o acender dos piores receios sobre o futuro das bases estruturantes do sistema tal como está definido.
A acção de Vénus e o facto de a Lua estar em Touro respondem com chamadas a pés na terra e à acção dialogante aos impulsos perturbadores dos mercados.
E Plutão directo anuncia que as instuituições, os poderes estabelecidos vão ser alterados para fazer face ás exigências da actualidade que não respondem mais á contenção.
No céu do Euro acende-se a questão da pertença a essa estrutura monetária em simultâneo com o “embelezamento” da imagem da União Europeia. A dívida grega, com a Lua em trânsito na Casa ViII e outros aspectos é o ponto chave da agitação. Para a semana, segunda e terça, a oposição de Marte em trânsito em Leão ao Marte grego, regente da VII trará nova luz sobre as relações de Atenas com o resto da União.
Os Estados Unidos têm também um fim de semana astrológicamente activado pela oposição de Vénus a Urano em trânsito, quadrado à Vénus natal. A situação financeira, a saúde pública e a projecção do país ( Vénus reg VI e XI) serão tocados por esse aspecto que pode também trazer notícias ou acções surpresa.

Para o Governo de Passos Coelho, esta sexta feira é securizante na acção externa mas a entrada de Plutão directo e o seu quadrado a Urano reg da VI dispara as reformas e cortes sociais e a naturalmente a contestação a eles. Os Media, Transportes, Ensino, Saúde e sector público em geral são os mais atingidos por este movimento.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: