De Jihad local a perigo internacional

Em 1999 chamaram-se “Organização do Monoteismo e da Jihad”. Eram um grupo de origem jordana aberto a militantes fundamentalistas islâmicos sunitas salafitas de outros países árabes que tentaram depôr o rei da Jordânia e alargaram a sua actividade contra a presença dos Estados Unidos no mundo árabe que começaram por combater no Afganistão.
Em 2004 aliaram-se à Al-Quaeda no Iraque. Em Janeiro de 2006 integraram outros grupos insurgentes sob o nome de “Conselho Mihahideen Shura”.
A 13 de Outubro de 2006 anunciaram a criação do Estado Islâmico do Iraque, ISI, juraram libertar o Iraque da opressão shia e restaurar a glória de Allah na linha sunita salafita. A 9 de Abril de 2013 alargaram a sua base operacional para a Síria e adoptaram o nome de Estado Islâmico do Iraque e do Levante ou Al—Sham- ISIS.
A 29 de Junho de 2014 estabeleceram um governo nos territórios que controlam e declararam o seu alargado estado islâmico, um Califado, na antiga tradição. Al Baghdadi é o Califa. Controlam um território vastíssimo, estão equipados com armamento sofisticado incluindo material americano capturado no Iraque. Têm financiadores privados nos estados islâmicos sunitas como os whaabitas do Quatar e a Arábia Saudita e ganham cerca de 1 milhão de dólares por dia da venda de petróleo de poços capturados no Iraque, diz-se que por intermediários curdos. Torturam, matam, esfolam, decapitam, violam, pilham,…… têm uma central de media que produz uma revista digital, propaganda em várias línguas incluindo inglês, alemão, russo e francês e divulga no Youtube, no Twitter, no Facebook decapitações, crucificações, assassinatos em massa.
No dia 19 de Agosto essa acção mediática chegou a novos auges de projecção quando puseram on-line o video em que mostravam a cabeça cortada do fotojornalista americano James Foley.
Um segundo video a 2 de Setembro de 2014 mostra a decapitação de um segundo jornalista americano Steven Sotloff. Prometem mais e farão certamente pior.
Os Estados Unidos e os aliados decidiram agir depois da cimeira da NATO a 4 e 5 de Setembro de 2014, Obama explicou aos americanos no dia 10 de Setembro do ano passado o perigo global que o ISIS representa e os planos para pôr cobro à sua actuação. Todo o resto de 2014 e 2015 foram uma sequência sangrenta de ataques, execuções e actos terroristas que em Novembro de 2015 atingem também Paris e ameaçam  outras capitais do mundo ocidental. O presidente francês jurou destruir a organização. Juntam-se novos aliados.
Está aberta a guerra santa que os horóscopos corroboram. Não são horóscopos simpáticos de analisar.
Os sinais nos Céus

Olhar para o ISIS numa perspectiva astrológica requer colocarmos o seu “nascimento” no mapa dos tempos. Em 1999, a organização de que deriva sua criação tem como pano de fundo Plutão e Marte conjuntos em Sagitário, planetas de guerra, morte e transformação a lançar as sementes da luta pela verdade religiosa.
A 13 de Outubro de 2006, quando anunciam a criação do Estado Islâmico do Iraque – ISI- Saturno está Leão em trígono a Plutão em Sagitário dando estrutura ao ímpeto plutoniano de poder religioso. A partir de 2009 vão conquistando terreno no Iraque com Plutão e o Nódulo Norte em Capricórnio. A 9 de Abril de 2013, em plena quadratura de Urano a Plutão, com o pé também na Síria declaram que os territórios que controlam são um estado e menos de um ano depois, a 29 de Junho passado com Urano oposto a Marte e Saturno em Escorpião trígono a Quíron estabelecem um Califado, sob a lei religiosa. Plutão em Sagitário trouxe a morte e renascimento nos ideais religiosos, a sua entrada em Capricórnio tem vindo a provocar a morte e renascimento das estruturas políticas e das organizações de poder por força das mudanças ideológicas da travessia do signo anterior. A série de quadraturas de Urano a Plutão que desde 2012 e até final de 2015, princípio de 2016 catalisa estes processos de transformação estrutural, traduz-se na revelação dessas mudanças através de golpes súbitos que trazem uma nova organização ou ordem de poderes devido à presença de Saturno, regente de Capricórnio, em Escorpião ou seja em recepção mútua com Plutão que rege o Escorpião. São novas estruturas de governo financeiro, político, territorial que se querem afirmar. Aqui se inclui a crise da banca, do euro e transformação do sistema financeiro e bancário europeu, a expressão do desejo de independência da Escócia e da Catalunha, as reviravoltas de poder no mundo árabe que começaram com a primavera árabe em 2012, que trouxeram a guerra à Siria e ao Libano e de novo ao Iraque, os militares no Egipto, o grupo fundamentalista islâmico Boko Haram que controla um vasto território no norte da Nigéria , os Al- Shaab na Somália, os Ansar Dime no Mali, a viragem política e estrutural na Turquia, etc…Assim, o ISIS evolui de grupo ideológico/religioso armado – enquanto Plutão estava em Sagitário – para se transformar num poder político com a capacidade de governar um território, dominar as bases, reunir recursos, expandir fronteiras e fazer uma guerra religiosa com Plutão no signo das estruturas, o Capricórnio, em quadratura a Urano em Carneiro, o signo da iniciativa de guerra e Saturno em Escorpião em trígono a Neptuno em Peixes, a força das armas em nome da fé. Em Julho de 2014 o ISIS divulgou nas redes sociais o mapa dos territórios que pretende controlar nos próximos cinco anos e que vão de Portugal e Espanha- o Andaluz até à China, reproduzindo áreas de domínio muçulmano desde a época medieval até ás actuais zonas  de minoria muçulmana Uyghur no oeste da China.

Ver aqui a cronologia do ISIS
ISIL- Um horóscopo de combate

Neste contexto, se olharmos para o horóscopo do ISI quando da sua afirmação inicial como Estado do Iraque e do Levante, a 9 de Abril de 2013, às 10.45, – hora a que o leader al-Baghdadi o anunciou publicamente em Aleppo, segundo o astrólogo Gary Lorentzen,- vemos no Meio do Céu um extraordinário “stellium” de planetas em Carneiro, signo da guerra, regido por Marte: Lua, Urano, Sol, Marte e Vénus conjugam-se assim marcialmente e traduzem-se, um após o outro, na…… afirmação pública do desejo de iniciativa bélica, na acção radical, no ímpeto conflituoso, nos lucros da guerra. Há que acrescentar que, na casa IX da ideologia, junto ao Meio do Ceu, está Mercúrio, planeta da comunicação, em Peixes, onde também está Neptuno, a ilustrar a importância da exposição mediática e da propaganda da fé pelo mundo fora. Mercúrio está em trígono ao Ascendente em Caranguejo e em sesquiquadrado a Saturno em Escorpião: Doa a quem doer fazem saber aos quatro ventos as bases do seu fundamentalismo e opressão. O uso da comunicação social cibernética para divulgar a força do ISI vem com o quincúncio de Saturno em Escorpião à Lua e Urano em Carneiro, Lua essa que rege o Ascendente Caranguejo, signo da protecção instintiva da tradição e dos nacionalismos, neste caso sunita. A brutalidade da sua acção é pela quadratura de Plutão em oposição ao Ascendente, perto da cúspide da VII, ao stellium na X. O controlo total das estruturas de poder, das relações ou parcerias assinalado por esta posição e o aspecto de tensão à Lua, Urano, Sol e Marte traduz-se não só em violência física e militar como no saque material das riquezas e armas com que se deparam. Segundo o astrólogo americano Robert Hand há um outro aspecto que tem de ser considerado que é o da Parte da Fortuna estar na Casa XII em quadratura à Lua na X e em oposição a Plutão. Segundo Hand, a Parte da Fortuna que simboliza os interesses materiais, financeiros em toque a Plutão implica o uso cego da força para a aquisição de bens, enquanto a quadratura à Lua no Meio do Céu e a Urano traz instabilidade nessa conquista. Por se encontrar na casa XII simboliza os apoios não evidentes mas também inimigos escondidos. Também a presença do Sol na X regente da II se traduz no apoio de figuras relevantes e mesmo de países ricos que financiam a actividade do ISI. Falta mencionar Júpiter regente da VI e da IX na XI, o serviço da fé ou ideologia como trabalho e como projeção no colectivo. Em suma, todo um horóscopo em que ideologia e fé se misturam com dinheiro, poder e violência num cocktail explosivo para quem não estiver do seu lado.

Esse Júpiter na XI que expande a presença e fundamentos do ISI mundo fora, pela comunicação e pela força está certamente no alargamento das suas actividades a território sírio e à declaração de um novo estado de coisas com o domínio territorial de parte da Síria o que permitiu a ISI declarar a 29 de Julho passado que se passaria a chamar ISIS e se transformava num Califado, forma islâmica de governo que representa a unidade e liderança política do mundo islâmico, sob um Califa, neste caso o auto-proclamado Al Baghdadi, que se afirma como sucessor do profeta Maomé em autoridade política. O califado é a única forma de governo que tem a total aprovação na teologia islâmica e é o conceito político central do islamismo sunita, por consenso da maioria muçulmana nos primeiro séculos. Está aqui o Caranguejo e o Capricórnio, os Peixes e o Escorpião e o Carneiro que os leva a guerra pela tradição, pela ordem, pela fé, pelo poder, por tudo isso de forma explosiva e moderna com Urano bem elevado no céu. Falam em nome de Allah e quem não se converter ao seu dictame tem de morrer. Este é o princípio que rege a sua acção, idêntica ao fundamentalismo whaabita da Arábia Saudita de onde veio Osama bin Laden, os pilotos do 11 de Setembro e os principais apoiantes financeiros do ISIS.
ISIL- A expansão do Califato

É Sagitário, regido por Júpiter que está no Ascendente do horóscopo da proclamação do Califado que cobre agora parte do Iraque e da Síria com pretensões a expandir ainda mais os seus horizontes. Há um horóscopo que circula na Internet que tem o ascendente a zero graus de Capricórnio feito para as 19.45 hora de Mosul, pelo astrólogo Peter Novak que diz no entanto ser esta uma hora estimativa. Mas o site Longwarjournal, o primeiro a dar a notícia e a fazer os links e para os videos, twitts e para o texto da declaração da formação do novo estado islâmico aponta como hora as 6.44 pm em Tikrit. Como também não sabemos se saiu primeiro o twitt, o video no youtube, o post no facebook ou a declaração de Al Baghdadi e todos eles já foram eliminados na net por o conteúdo ser considerado um apelo à vio|ência, fiz outro horóscopo também aproximado para as 6.30 pm o que dá o Ascendente Sagitário, coloca a cúspide da casa VIII entre Júpiter e a Lua, Marte, regente da IV no Meio do Céu assim como o Nódulo Norte em Balança, oposto a Urano no Fundo do Céu e o Sol em Caranguejo na VII, trígono a Neptuno na cúspide da III, oposto a Plutão na I, numa grande cruz com Marte e Urano. Se o horóscopo do ISI já era retrato de vontade cega de criar um estado, impondo pela força bruta um ideal religioso ancestral, o horóscopo do ISIL mostra a evolução para um estado expansionista, que alarga pela força a sua base territorial, que impõe um fé e uma forma de vida e que tem acesso à riqueza já no seu próprio território – o que faz sentido porque já detém agora poços de petróleo. É de salientar o grande trígono de Água entre o Sol em Caranguejo, Saturno em Escorpião e Neptuno e Quíron em Peixes que estrutura esse estado como poder espiritual sem perdoar desvios da tradição ancestral e uma grande cruz cardinal entre o Sol em Caranguejo, Marte em Balança, Plutão em Capricórnio e Urano em Carneiro, um vulcão explosivo de energias destrutivas de tudo o que se lhes opuser.

Se compararmos os dois mapas, a primeira coisa que salta à vista é que Saturno no horóscopo do ISIS está exactamente conjunto ao Nódulo Norte do horóscopo do ISI, como se a fundação do Califafo fosse a estruturação do objectivo a atingir do ISI, o que representa por isso um sucesso de actividade, um cumprir do destino, no tempo e nos espaço colectivo ja que esse ponto cai na casa XI do horóscopo do ISIS. Também o Sol passa de Carneiro para lhe ficar em quadratura em Caranguejo, da luta para a criação de raízes no respeito da tradição, mas em tensão permanente e em risco de novas transformações até talvez queda de liderança ja que a Urano faz conjunção ao Sol do ISI e na sinistria está quadrado ao Sol do Califado e enquanto Plutão faz quadratura ao Sol do ISI e oposição ao Sol do ISIS. Tambem Marte no horóscopo do ISI está conjunto ao Sol para no horóscopo do ISIS lhe fazer oposição. Há assim uma dança destes planetas que simbolizam transformações violentas que não abranda desde a formação do grupo político até à sua instauração como estado religioso dotado de estruturas de poder. Em ambos os horóscopos, apesar de em graus diferentes, Saturno e Urano estão em quincúncio, despoletanto abusos de poder, revelando as dificuldades de gerir governo e acção bélica, complexidades existenciais a que são dadas respostas díspares, neste caso memo disparos, decapitações e assassinatos em massa como demonstração de quem manda.

Falta falar de Venus, que rege tradicionalmente o Islão, Vénus da paz de quem diz Salaam, Vénus num dos cornos do boi Ashur da mitologia da assíria que tinha Júpiter no outro corno, Vénus que rege a sexta feira, dia feriado muçulmano. Vénus rege o Meio do Céu do horóscopo do ISIS em Balança onde está Marte a lutar por essa versão exclusiva da paz islâmica whaabita. No horóscopo inicial do ISI Vénus está conjunta a Marte em Carneiro. A paz é uma guerra nestes horóscopos.
E agora?

Agora os dados estão lançados. Saturno entrou em  em Sagitário em Setembro onde ficará até ao final de 2017 altura em que estará em trígono a Urano em Carneiro. Saturno em Sagitário, regido por Júpiter traduz-se no crescimento do poder religioso, nas estruturas políticas dominadas pela ideologia e fé. O trígono final a Urano em Carneiro permite a sua atuação de forma mais fluida. O fundamentalismo islâmico é estatisticamente o movimento religioso em crescimento mais acentuado no mundo actual. Saturmo em Sagitário simboliza a consagração dessa tendência e dá-lhe nova ordem. A Primavera árabe que irrompeu com a primeira da série de 7 quadraturas de Urano a Plutão em 2012, (como forma de contestação aos poderes instituídos na conjunção de Urano a Plutão quando esses estados se tornaram independentes nos anos 60) vai já ter, em 2015, na última quadratura de Urano e Plutão o peso do controlo dos poderes religiosos a limitar opções e a impôr o fundamentalismo.

Saturno em Sagitário trava as viagens, obriga a definir princípios, traz a recessão económica porque representa limites ao crescimento e impõe regras de origem religiosa ou filosófica. É um entrave á liberdade. Mas é também a liberdade como valor estruturante a defender. Conflito puxa conflito e os Estados Unidos, aliados ocidentais e a Liga árabe concertam esforços para, com bombardeamentos e outros métodos tentarem não só parar o avanço do ISIS como reduzi-lo a nada. Saturno em Sagitário transitará a casa XII do ISIS, começando por um trígono à Lua em 2015. Tempos de guerra aberta e terrorismo e contra-terrorismo nos bastidores….

Até ao final de 2015, depois dos ataques de Paris, o trânsito de Marte em Balança toca pontos chave nestes horóscopos, incitando a acção violenta, em particular nas primeiras semanas de Dezembro quando activa a quadratura de Urano a Plutão. Em 2016 Urano vai em Março fazer conjunção ao Sol e em Abril e Maio a Marte e Vénus do ISIS, com uma oposição a Marte em Janeiro no céu do Califado. A tradução em actividade bélica não é difícil de entender.

Este artigo foi inicialmente publicado no Outono de 2014 na revista Aspas com o título “ISIS: Um Califato Fundamentalmente Violento”e agora actualizado.

Isis Isis Califado

Anúncios