Pesquisar

Céus!!! Rosita Iguana

Os Astros dia a dia

Etiqueta

Marte oposto a Plutão

Quinta, 16/7/15- Lua Nova no que podemos ou não contar- conflitos e mudanças inevitáveis

É às 2h25m da madrugada de quinta-feira que a Lua faz conjunção ao Sol e se torna possível passar a uma nova fase de gestão das questões internas, familiares, nacionais. É no signo do Caranguejo que abre este ciclo, em semi-sextil a Júpiter e poucas horas depois semi-sextil a Vénus, tal como Júpiter em Leão e ainda em trígono a Saturno em Escorpião. Estes aspectos de certa forma trazem a oportunidade de respostas criativas, em que os valores humanos e financeiros são valorizados pela conjunção Vénus/Júpiter, em busca da estabilidade e do cumprimento das obrigações simbolizadas pelo ângulo a Saturno. Tudo isto seria suave não fosse Marte e Plutão, os dois regentes de Escorpião onde se encontra Saturno, estarem opostos nos Céus- Marte em Caranguejo conjunto a Mercúrio – a vontade de defender pela palavra e acção o que demais íntimo, pessoal, familiar doméstico, nacional nos podemos agarrar- versus Plutão em Capricórnio,- o poder sem rosto, a força da dependência ou dívidas a penetrar as estruturas de organização de vida, pessoal, colectiva, política, financeira, representadas pelo Capricórnio frontalmente a desafiar tudo o que é do foro interno. É um aspecto violento, traz confrontos internos e externos e é neste quadro que a Lua Nova dá o mote para que tenhamos consciência que algo de muito importante mudou no que eram as nossas amarras de base. Assim, apesar dos aspectos mais felizes ou fáceis da Lua e Sol a Vénus, Júpiter e Saturno que mostram um lado melhor do que está a mudar, o facto é que a oposição Mercúrio/Marte Plutão traduz clivagens internas, zangas, resistência e prepotência e a difícil tarefa de articularmos o dialogo equilibrado que o Nódulo Norte em Balança sugere como caminho certo a seguir. Esta Lua nova é por isso um tempo de abertura de confrontos que podem custar caro a quem e ao que ficar preso ao passado. No próximo dia 20, Marte fará quadratura a Urano e Vénus entra retrógrada 40 dias em Virgem- sinal de que as tensões de hoje podem levar a rupturas nessas altura e que relações, alianças, dinheiros têm de ser passados a pente fino, na sequência do que agora se desenrolar. É uma Lua Nova para percebermos com o que podemos ou não contar e lutar pelo que nos é fundamental. Pelas 14 horas GMT a Lua entra em Leão e o dramatismo ou desejo de reconhecimento é o  impulso a controlar no conflito entre o “Eu” do Leão e o “Mundo” do Aquário que se lhe opõe.

A imagem é de uma tela da pintora e mística sueca Hilma Af Klint- 1862- 1944, pioneira da arte abstracta

astro_w2gw_66_carta_do_dia.63111.32660

7eb5fb621ea464be982791bce02d734d

Quarta, 15/7/15- Agitar tudo antes de começar o novo

Mas que dia e noite intensas! É tempo de viragens,começos, determinação, mudança nas bases a quês nos agarrávamos. Tudo o que era sombra tem estado a vir à luz e é o momento de escolher como queremos viver, em casa, em família, como país, e individualmente com que suportes emocionais nos sustentamos. Nada disto se passa sem enormes tensões, trabalho, ansiedade ou fúria que é preciso entender e dominar para não desperdiçarmos energias e alianças fundamentais para as próximas etapas. Uma enorme concentração de planetas em Caranguejo- Mercúrio, Marte e Sol e Lua em Lua Nova na madrugada de quinta feira mostram que o que temos de debater, onde temos de tomar decisões, onde receamos as consequências e o que queremos garantir, tudo tem a ver com o foro intimo, familiar, nacional, simbolizados pelo Caranguejo e pela Lua. As tensões vêm da oposição a Plutão em Capricórnio de Mercúrio, Marte e da Lua. A Lua tem um movimento rápido e faz ainda quadratura a Urano antes de se unir em Lua Nova ao Sol. Resultado- os toques de Marte e Mercúrio a Plutão intensificam disputas, exigem aprofundamento das questões e podem inverter situações drásticamente já o desejo de poder toma conta de tudo e de todos. A Lua em oposição a Plutão primeiro e quadratura a Urano a seguir põe fim a ligações caducas, de forma também tumultuosa e a sua junção ao Sol já nas primeiras horas de quinta-feira marca o início do novo ciclo lunar em que soluções criativas e estabilização nas relações e finanças são privilegiadas já que a Lua avança para um sextil a Vénus e Júpiter em Leão e um trígono a Saturno em Escorpião. Com Mercúrio conjunto a Marte em Caranguejo, apesar da tendência para evitar frontalidades há que ser honesto e reconhecer em nós próprios o que é essencial, quais as raízes do bem estar e são essas que temos de defender- os bons resultados vão depender da honestidade dessa postura.

A tela é de Maccari pintor italiano, século XIX representa Cícero a denunciar Catilina

astro_w2gw_66_carta_do_dia.63067.30017

Maccari-Cicero

Terça, 14/7/15- Confrontos com forças maiores

Estamos em vésperas de uma Lua Nova que traz novidades em casa, família, país, situações de mudança e criação de novas bases de segurança em que as restrições ou necessidades emocionais e financeiras condicionam as escolhas. Já hoje, depois do meio dia GMT, em Caranguejo, a caminho da conjunção ao Sol na madrugada de quinta feira a Lua pede a revisão das matérias intimas, domésticas, internas que têm de se apagar para dar origem ao novo ciclo lunar. Pelo caminho, há de, até quinta feira, fazer conjunção a Mercúrio e a Marte o que traz discussão e confronto, até violento, já que também envolve uma oposição a Plutão. Com Vénus em quadratura e Marte em sesquiquadrado a Saturno em Escorpião, como pano de fundo temos limites e tensões às relações pessoais, sociais, políticas e o peso das obrigações dessas mesmas relações, compromissos emocionais ou financeiros. Há custos a pagar e isso restringe as relações e impede a acção mas em simultâneo divide as bases de que necessitamos. Marte em Caranguejo simboliza entre outras coisas separações na família, zangas intimas, sociedades divididas e a sua oposição a Plutão em Capricórnio toda a semana é sinal de desunião generalizada, tanto a nível familiar como colectivo. Estamos a ser confrontados com as sombras das dependências, a força das circunstâncias e poderes maiores, todos simbolizados por Plutão que por coincidência- ou não há coincidencias- vai também esta semana pela primeira vez ser fotografado de perto pela sonda da NASA Novos Horizontes. Esta sonda já mandou há dias as imagens de aproximação mas espera-se para quinta feira imagens nunca vistas de Plutão tiradas a uma distância mínima record de 7.500 milhas. Estamos a ver o nunca visto, real e simbolicamente, a confrontarmo-nos com forças até agora invisíveis e há que tirar lições disso para que a Lua Nova abra um ciclo lunar dando novo sentido ao que são valores intrínsecos. A tela é uma intervenção com photoshop da Techninart sobre a tela do pintor alemão Caspar David Friedrich ” Wanderer over Sea of Fog”, um clássico do período romântico, 1818. astro_w2gw_66_carta_do_dia.63052.29147 techinart07

Domingo, 12/7/15- Esperar o inesperado, deixar ir o passado

Não há garantias, há mesmo várias hipóteses e algumas bem confusas, hoje e amanhã com a Lua em Gémeos a fazer quadratura no início da tarde a Neptuno em Peixes e semiquadratura a Urano em Carneiro. A acrescentar às tensões, o Sol em Caranguejo que o que mais pede é segurança e defesa dos interesses próprios,da casa, família, país, está hoje e amanhã em quadratura a Urano em Carneiro, enquanto Marte avança para fazer oposição a Plutão. Resultado, a instabilidade é inevitável e o resultado vai ser o libertar de obrigações antigas impossíveis de corresponder. Com a quadratura do Sol a Urano há como que um acordar para uma nova situação e esperar o inesperado é a única garantia. Tensão, ansiedade, irritabilidade, são as consequências de não estar pronto para a mudança e o melhor é mesmo abraçar o desconhecido, aceitando que o que de mais concreto desejamos anteriormente já não está na agenda. De facto, vai ser assim até dia 16, dia da Lua Nova em Caranguejo quando também Marte fará oposição a Plutão. Saber navegar várias opções e estar aberto a novas condições é o que podemos fazer até ao dia da mudança. A imagem é das Crónicas de Manassas, século XII grego-bizantino astro_w2gw_66_carta_do_dia.62993.25876

08-manasses-chronicle

Quinta 11/8: Marte quadrado a Urano, oposto a Plutão, Lua em Capricórnio e os sinais de necessidade de mudança

Andar para a frente, mesmo que não se saiba bem em que direcção e independentemente da oposição que se faça sentir é o sentimento urgente que, hoje, Marte oposto a Plutão, quadrado a Urano, numa órbita mais exacta do que nos últimos dias, continua a imprimir nas nossas vontades individuais e colectivas. As forças tremendas que estes aspectos promovem permitem grandes transformação estruturais mas também podem ser motor de destruição e caos.

Sombra ou luz, a energia redutora do ego ou a abertura ao bem comum, proteccionismo ou evolução são as faces antagónicas dos aspectos astrais desta semana, que marcam o tom e nos abrem a perspectiva para a evolução estrutural e conflitos sociais no mundo nos próximos dois anos e meio. Isto porque Urano e Plutão vão estar em quadratura, numa dança ora lenta ora rápida, acelerada por Marte ( acção e guerra) e condicionada pelos outros planetas, de reformulação (Plutão) das organizações de poder (Capricórnio), sejam elas baseadas em acordos financeiros politicos ou sociais (Balança que se opõe a Carneiro e onde Saturno está em trânsito). Urano em Carneiro exige liberdade, novos começos, um fogo da exigência de resposta à necessidade de abolir condicionamentos que não sirvam mais o propósito evolutivo individual ou colectivo.

Depois da oposição de Saturno a Urano nos últimos meses em que se verificou um esforço de manutenção da ordem estabelecida  e contenção ( Saturno em Balança) das erupções e fogos (Urano em Carneiro) ateados pela disfunção financeira global ( Balança rege acordos financeiros, por ser regida por Vénus), agora, que Saturno sai de aspecto e Urano entra em quadratura a Plutão, a urgência de transformação estrutural acelera e já não há contenção possível e nada será como antes. É preciso traçar novos rumos para o colectivo e são essas novas redes estructurantes, impulsionadas pelo apelo de Urano que vão ser desenhadas, numa primeira fase em ritmo acelerado pela destruturação, nos próximos dois anos e meio, sendo de Março a Junho de 2012, o próximo período de desenvolvimentos fulcrais.

A Lua hoje, nos ultimos graus de Capricórnio  ilumina o nosso desejo de encontrar segurança nas estruturas do colectivo e simultaneamente as suas fragilidades.   A intensificação da ambição não nos deve desviar da consideração pelos outros e da importância das nossas raizes.

Para o Governo, a especulação financeira e as questões de restruturação de Casa III, Media, Educação básica e trocas comerciais são os temas principais do dia, onde se manifesta a vontade de tomadas de decisão radicais, pela oposição de Marte a Plutão natal. A Lua em Capricónio na V ilumina os problemas na Cultura.

Terça, 9/8: Controlar as mudanças

O ímpeto, agressividade e demonstrações de força bruta são aspectos a dominar, nos próximos três dias, com Marte quadrado a Urano e oposto a Plutão. A impaciência pode provocar acidentes e a desatenção faz-nos vítimas de situações que não controlamos. A originalidade na acção e iniciativas revolucionárias são possíveis com vista ao bem comum.

Para o Governo a tensão geral tem reflexos particularmente importantes nas finanças, banca, segurança social, parcerias internacionais e na transformação dos conceitos sobre quais são os fundamentos da riqueza nacional e a ideia de nação. A contestação social é possível.

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: