Pesquisar

Céus!!! Rosita Iguana

Os Astros dia a dia

Etiqueta

Vénus conjunta a Júpiter

Terça, 4/8/15- Entre o querer e o poder

Os limites das relações, do desejo, dos gastos, do exagero pessoal é o que está em causa desde ontem e até amanhã, provocando grande tensão entre o impulso de ter iniciativas que alterem a situação e a aparente impossibilidade de alcançarmos os resultados pretendidos. Deve-se a frustração à quadratura de Vénus retrógrada e Júpiter em Leão a Saturno retrógrado em Escorpião, enquanto que as emoções atormentadas derivam da Lua em Carneiro -que quer acção, – quadrada a Plutão em Capricórnio-  que a confronta com a força das estruturas e de poderes superiores -, a avançar para uma conjunção a Urano e trígono a Mercúrio que pode levar a espontâneidades de consequências imprevisíveis. É assim um tempo em que é preciso tomar decisões baseadas no que conseguirmos equilibrar entre o querer e o poder, a expansão e a contração, a projecção para amanhã e o peso de ontem.

Como Júpiter está em vésperas de mudar de signo para entrar em Virgem, estamos numa fase última de definir quem somos e como ou com que fundamentos vamos, durante os próximos doze meses, servir os nossos interesses e os dos outros. Júpiter e Saturno vão ainda fazer duas quadraturas em 2016, a primeira em Março e a segunda em Maio, de Virgem para Sagitário, sendo que o Sagitário é regido por Júpiter- o tom será sempre o mesmo- como alargar a esfera de acção dentro das restrições estruturais, pessoais ou colectivas.

Como Vénus e Júpiter estão agora conjuntos em Leão, pode haver a tendência  para só querer amor, divertimento, criatividade, sem pensar nem em ontem nem em amanhã. No entanto, a realidade mais tarde ou mais cedo abate-se sobre a febre e é daí que resulta, se bem consciencializada, a matéria de que de facto se podem construir os sonhos e que nos pode transformar- o Sol em Leão avança esta semana para um quincúncio a Plutão e da tensão pode resultar o renascer das cinzas- arrumados assuntos do passado, feridas do ego, avarias da máquina pessoal e da ideia que temos do amor pelo outro e do amor-próprio. É uma semana que exige muita revisão pessoal para esclarecer a parte de nós em que podemos confiar para nos guiar- Neptuno quincúncio ao Sol e sesquiquadrado a Marte.

A tela representa Orfeu e Eurídice pelo pintor inglês pré-rafaelita John Spencer Stanhope 1829-1908.

astro_w2gw_66_carta_do_dia.60420.26292

 

Orpheus_Eurydice-onbanksofstyxSpencerStanhope

 

Sexta, 6/7- Objectividade precisa-se assim como saber dizer não

Queremos olhar para o mundo de forma desprendida mas as preocupações familiares não o permitem. Globalmente seria também desejável olhar para o que se passa com alguma distância e objectvidade mas as questões nacionais ou de segurança interna sobrepõem-se a qualquer outra consideração. Isto por a Lua estar em Aquário e o Sol em Caranguejo, a Lua em trígono a Saturno em Balança e o Sol quadrado a este.  Ou seja, uma visão geral ou perspectiva mais global acaba por nunca poder ser um franco exercício mental porque sucumbimos às pressões e limites que poêm em perigo as nossas necessidades mais básicas e envolvem as nossas emoções.

Mantem-se  o quincúncio de Mercurio em Leão e de Vénus e Jupiter conjuntos em Gémeos a Plutão em Capricórnio e continuamos a viver o óbvio dilema entre as diferentes realidades e perspectivas de expansão e a revolução estrutural em curso. Os esforços para abrir caminho e facilitar expansão financeira – ver a descida concertadas dos juros- podem ser boas medidas assim como o reconhecimento das diferentes posições individuais – Mercúrio em trígono a Urano -mas ambos colidem com os fundamentos de uma crise profunda- Plutão em Capricórnio – que exige uma revolução de princípios e se necessário cortes de relações – Plutão em quadratura a Urano e Marte em Balança a avançar para activar essa quadratura.

É com os nervos à flor da pele, hiper-sensibilidade, desejo de evasão ou num estado alterado de consciência que entramos na madrugada de sábado, com a Lua a passar para Peixes, conjunta a Neptuno, quadrada a Vénus e Júpiter e num quincúncio a Marte que agrava a dificuldade em equilibrar conforto emocional e segurança assim como exprimirmos as nossas carências. É preciso não sucumbir às exigências alheias.

21/6- Insegurança, frustração e antecipação de perigos maiores

Dizemos o que sentimos e precisamos de uma forma directa mas não nos dão o que queremos.  Intuimos que está para breve uma explosão de rebeldia com o agravamento de questões antigas que por resolver.  A Lua em Caranguejo conjunta a Mercúrio em quadrado a Saturno é o motor desta hipersensibilidade e frustração que beneficia no entanto de uma expressão clara e detalhada das carências e estratégias desejadas graças ao sextil a Marte em Virgem.

Assim, muita conversa e actividade em defesa dos interesses domésticos, familiares ou nacionais está hoje na ordem do dia mas as respostas que ouvimos são frias e a depressão emocional ou económica ensombra as perspectivas.Também a entrada do Sol em Caranguejo com o foco na segurança, a caminho de uma quadratura a Urano e oposição a Plutão ilumina já tensões máximas nos próximos oito dias e a revelação de novos podres para os quais o conserto será dificil. Novos paradigmas serão inevitáveis mas ainda dificilmente imagináveis já que as propostas existentes para resolver as questões são ainda respostas antigas que perpetuam a origem dos problemas. Será preciso esperar até ao final das sete quadraturas de Urano a Plutão – começam esta semana e terminam em 2015- para termos clara consciência de que bases vamos então partir.

Por enquanto é a fase da revelação e desconstrução. Com Vénus conjunta a Júpiter em Gémeos e em quadratura a Neptuno e ao Quiron, e em quincúncio a Plutão o descontentamento e a volatilidade das emoções, relações e mercados financeiros alastra e contagia tudo em seu redor.  Mas ainda é um dia calmo antes de tempestades maiores.

É de referir ainda que no horóscopo do governo de Passos Coelho, Marte em trânsito no ascendente em quadratura ao Nódulo Lunar norte na IV e Júpiter conjunto a Marte natal na IX estimulam atitudes e acções contestáveis ou em desarmonia com as bases assim como grande actividade externa em tudo o que respeita a finanças partilhadas, juros, empréstimos e apoios dos parceiros. O trânsito do Sol a caminho de uma oposição a Plutão natal nos próximos dias traz já no ar as ameaças dos poderes externos em conflito com a autoridade  nacional, questões de manipulação e confrontos nas áreas financeiras e  dos media entre outros.

Quarta, 14/3- Fazer mas controlar as exigências

Explorar o mundo e as ideias e ter grandes exigências com base na afirmação de igualmente  grandes princípios é a tentação hoje com a  Lua em Sagitário que também nos incita a alguma arrogância ao dizer como achamos que devem as coisas. Queremos mais e melhor mas há que ter em consideração alguns limites e a certeza de que vai haver contestação. Um quadrado da Lua a Marte que mais ao final do dia evolui para um quadrado ao Sol é índício de que os nossos anseios e quereres não são compatíveis com os detalhes da realidade e que as exigências se transformam em desacordos com forças maiores.

De facto, o dia, tal como ontem, é propício a alterações favoráveis na organização geral dos nossos bens e valores, já que persiste a conjunção de Vénus e Júpiter em Touro, em trígono a Plutão em Capricórnio e Marte em Virgem. Mas a Lua em Sagitário leva-nos a ” esticar a corda” na resolução das carências embelezadas com ideias filosóficas, e que as quadraturas mostram ser pouco compatíveis com a realidade. Mais ainda, Mercúrio em Carneiro, retrógrado, em quadratura a Plutão força a  revisão de discursos e negociações  ou da organização de assuntos que ficou provado não estarem ainda maduros para avançar.  Outra quadratura de Marte ao Nódulo Lunar Norte corrobora a necessidade de controlarmos as exigências incompatíveis com o verdadeiro sentido das coisas e sua orientação futura.

Em suma, um bom dia para concretizar projectos desde que não sejam abusivos nem tenham como ponto de partida uma expressão mal fundamentada.

 

Sexta, 9/3- Apostar na mudança criativa

Procuramos relações equilibradas, queremos justiça entre o que damos e o que recebemos mas o dia está cheio de surpresas. Somos contrariados  por reações súbitas ou revelações inesperadas e a tendência é para reagirmos com toda a artilharia de defesa, recordando velhas feridas e respostas compulsivas. Deve-se isto à oposição da Lua em Balança à conjunção de Mercúrio e Urano em Carneiro.  Este aspecto também pode ter uma saída mais positiva se aproveitarmos as ideias originais ou ímpeto criativo que Mercúrio e Urano proporcionam  para perdermos o  receio de avançarmos sózinhos para mudar de estruturas e organizações nas quais normalmente nos apoiavamos.  Ou seja, as propostas pouco convencionais dificilmente serão bem entendidas e podem ser fonte de conflito.

No entanto, é possível ser optimista já que o dia é bastante favorável a estabelecer boas relações pessoais e financeiras, assim como a procurar soluções estéticas para uma mudança palpável de paradigma. Com Vénus a aproximar-se da conjunção exacta a Júpiter, ambos a caminho de um trígono também exacto a Plutão em Capricórnio, as oportunidades de concretizar transformações profundas que nos enriqueçam a vida, seja do ponto de vista individual ou colectivo, seja através de viagens ou aprofundamento do conhecimento ou dos recursos existentes, são potenciadas hoje e nos próximos dias.

Também o trígono de Mercúrio ao Nódulo Lunar Norte em Sagitário é um bom indicador de que o que pensarmos pode ser mesmo a solução de futuro!

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: