Pesquisar

Céus!!! Rosita Iguana

Os Astros dia a dia

Etiqueta

Marte quadrado a Urano

Sábado, 25/7/15- O que pode ruir, o que pode servir

A impaciência, irritabilidade, brusquidão e todas as variações e consequências que resultam de crises de cegueira emocional são o grande risco hoje com Marte e Urano em quadratura, de Caranguejo para Carneiro, Lua em Escorpião, Sol e Mercúrio em Leão.
Convencidos de que tudo o que dizemos é o que faz sentido, desejosos de controlar tudo e todos, – portanto desconfiados e retorcidos,-  batemos com a porta à mais leve sentida provocação. Não tem de ser assim. O livre arbítrio devia permitir que Sol e Mercúrio em Leão inspirassem a expressão da criatividade, amor e generosidade, que a Lua em Escorpião ajudasse a que nos dedicássemos a ir ao fundo do que está mal em nome de grandes causas e que, assim imbuídos de fortes capacidades e boas intenções pudessemos, graças à quadratura de Marte a Urano, cortar dependências vetustas e inovar, fazendo as transformações necessárias em casa, família, país. São duas maneiras opostas de viver as influências do dia e há matizes várias. O que é chave é pensar a longo prazo o que se pretende das relações a dois, dos acordos e alianças com os outros, da forma como servimos relações e como elas nos servem a nós. Vénus está estacionária em Virgem, vai entrar retrógrada até Setembro e está na hora de repensarmos o ter e o dever no amor, no trabalho, nas finanças. Nas seis semanas  que se avizinham teremos de lidar com as consequências das tensões deste fim-de-semana.

astro_w2gw_66_carta_do_dia.54176.3562

Unknown

Sexta, 24/7/15- Filtrar a paixão- Vénus retrógrada

Todo o fim-de-semana gira em torno de três tensões, duas de curta duração mas de efeitos intensos e uma que perdurará 40 dias e que requer por isso atenção a médio prazo.
A Lua em Escorpião, de sexta feira de manhã até domingo traz emoções intensas porque tudo é sentido como uma questão de vida e de morte, desejo de controlo, desconfiança, sentimentos arrebatadores que começam sexta à tarde com laivos de fantasias num o trígono a Neptuno, que no sábado podem exprimir-se graças ao trígono a Marte mas que, no domingo, acabam por ter de ser reprimidos devido devido à conjunção a Saturno. Ou seja, no que toca ao flutuar emocional, o pano de fundo será sempre a visceralidade do sentir, paixões que se sentem, se manifestam e sucumbem à força das circunstâncias.
A segunda tensão vem da quadratura de Marte em Caranguejo a Urano em Carneiro. É o aspecto do turista acidental mas também da disputa em família que nos leva a agir de forma brusca ou de qualquer ímpeto no que respeita a casa, família que implique separações ou acções inesperadas. Estes são os aspectos que duram apenas o fim-de-semana, agora que o Sol entrou em Leão e está em conjunção com o Sol, o que torna tudo e todos mais senhores-do-seu-nariz, arrogantes, cheios de certezas, a querer mostrar que só há uma posição possível- a do rei da Selva. Apesar das oportunidades dadas pelo sextil ao Nódulo Norte em Balança que pede diálogo e concertação, com Sol e Mercúrio em Leão a vida é um palco é difícil ouvir e fazer-se ouvido sem drama.
Por fim, temos a abertura, durante o fim-de-semana, do convite dos próximos 40 dias a interiorizar o que temos de mudar nas atitudes pessoais para melhorar relacionamentos e benefícios. É tempo de encaixar e não de investir. Vénus fica estacionária até domingo e entra de seguida retrógrada, voltando ao Leão a 1 de Agosto para só estar directa outra vez nos 14 graus de Leão a 7 de Setembro e regressar ao ponto que agora deixa dos 0 graus de Virgem a 9 de Outubro. No amor, nas relações públicas, na correcta contabilidade, no ter, dever e haver de como nos projectamos nos outros, está na hora de corrigir percursos, acabar processos, passar a pente fino alianças, dinheiros e o que temos de facto para dar. E quando passarem estes 40 dias, espera-se que a travessia do deserto permita então a gestão correcta das coisas e o amor ao serviço pedidos de facto por Vénus em Virgem, só possível com menos orgulho próprio, a descobrir como durante a retrogradação em Leão…. Filtrar a paixão.

A tela é do pintor inglês pré-rafaelita John William Waterhouse,  1849-1919. Chama-se ” Love Philter”.

astro_w2gw_66_carta_do_dia.54154.2106

LovePhiltre_Waterhouse

Quinta, 13/11- Ir, mas com atenção

O mais difícil hoje é sermos nós próprios a controlar a vontade em vez de termos alguém ou as circunstâncias a imporem-nos os limites. Orgulho e individualismo levam-nos a correr riscos ou a achar que tudo nos é devido com a Lua em Leão a avançar para um trígono a Urano em Carneiro. A quadratura de Marte, regente de Carneiro, a Urano acrescenta irritabilidade, tensão e mais achas para a fogueira das acções irreflectidas ou dos acidentes por falta de atenção. Também a quadratura do Sol em Escorpião a Júpiter em Leão incita aos excessos na busca de satisfação. Os travões vêm a dobrar com Vénus e Saturno conjuntos em Escorpião e ambos em semi-quadratura a Plutão em Capricórnio. O desejo de controlo total acaba por se transformar em frustração- quanto maior for a teimosia cega, mais dura será a rejeição. Este é o mais negro dos quadros mas os aspectos de hoje também podem ser lidos como abrindo as portas a criatividade e à originalidade de projectos pessoais de grande dimensão ou impacto transformador, no trígono da Lua a Urano e na quadratura do Júpiter ao Sol em Escorpião. Pode ser estimulante e divertido mas haverá sempre de ter em conta limites de poder ou de custos financeiros e a necessidade de organizar os recursos e pensar a longo prazo devido a conjunção de Vénus e Saturno em Escorpião. A semi-quadratura de Plutão e Marte e a quadratura destes a Urano são os sinal claros de que para fazermos as transformações estruturais que se impõem a acção disciplinada é a única via. Todo o cuidado é pouco para não dispararmos em todas as direções.

astro_w2gw_125_carta_do_dia.65958.39397

Quinta, 1/8- É largar e seguir….

O mês de Agosto começa com um dia de intensa emoção, movimento e actividade.  Os sentimentos estão à flor da pele e, tal como ontem, podemos estar prontos a explodir de raiva, cortar relações ou abandonar terreno  – sem no entanto termos bem a certeza qual opção preferida. O certo é que Marte em Caranguejo faz uma quadratura a Urano em Carneiro o que garante mudanças súbitas em casa, no país ou nas nossas bases de segurança e isso tanto pode ser uma aflição como pode ser libertador principalmente com a Lua em trânsito em Gémeos em sextil a Urano, que nos faz seja viajar seja oscilar na análise, ver oportunidades nos cortes e perder-nos nos detalhes devido à quadratura a Vénus em Virgem.

Como Marte também faz um trígono ao Nódulo Norte em Escorpião tudo indica que as acções que tiverem por objectivo alterar situações estagnadas e promover mudanças profundas –  no modo como vivemos, nos poderes ou nas finanças –  são as adequadas ao momento e que têm mais hipóteses de sucesso.

É fundamental articularmos o serviço aos outros com o nosso próprio interesse, prestarmos atenção às feridas antigas e abrirmos o coração ao próximo – ou ás grandes questões sociais –  para aí encontrar ecos redentores e criarmos oportunidades para mudarmos em conjunto, seja a dois, seja em família ou no colectivo, no amor ou nos ajustes de contas.  Isto porque Vénus está em quincúncio a Urano, oposta a Quíron em Peixes e sextil ao Nódulo Norte.

No fundo, o que está em causa é sintetizado pelo quincúncio do Sol em Leão a Plutão em Capricórnio: para sermos quem devemos ser, respeitarmos a nossa própria identidade e criatividade há que largar rotinas e sermos agentes da nossa própria mudança em vez de ficarmos bloqueados em jogos de poder ou controlo em situações que já não interessam.

astro_w2gw_45_carta_do_dia_hp.35958.39395

Quarta, 31/7- Impulsos, golpes, indecisões

Há forte tensão no ar, somos dominados pelos impulsos e podemos disparar em todas as direções ao mesmo tempo que uma grande indecisão que nos assola, a partir da tarde GMT. Começamos por desejar estabilidade enquanto a Lua transita pelos últimos graus de Touro durante a manhã mas rapidamente passamos a desejar uma coisa e o seu oposto, defendendo com veemência o contraditório. Com Marte em Caranguejo em quadratura exacta a Urano em Carneiro o imprevisto e a ruptura, ou golpes de sorte, provocam mudanças bruscas na sequência da oposição de Marte a Plutão em Capricórnio no dia 27. O melhor a fazer é pensarmos seriamente no que queremos mudar e tomarmos as rédeas desse processo em casa ou no país, em prol da nossa segurança básica, devido ao trânsito de Marte por Caranguejo. Terá de haver cortes, separações ou inovação e progresso conforme a perspectiva.

Para além da dificuldade em controlarmos comportamentos explosivos, o outro aspecto do dia a que é preciso estar atento é o sesquiquadrado de Mercúrio em Caranguejo a Neptuno retrógrado em Peixes. Há que ir não ir atrás de discursos ocos ou fantasiosos e usar a intuição para chegar a um entendimento e expressão honesta do que se está a passar e onde queremos chegar.

astro_w2gw_45_carta_do_dia_hp.66472.25488

Sexta, 23/11- A urgência de mudar

Impaciência e irritabilidade ou entusiasmo contagiante são as duas vertentes possíveis  em que podemos viver os trânsitos de hoje. É díficil manter o controlo e não se deixar dominar pelos impulsos. O que quer que seja que estiver estagnado ou represente limites impossíveis de sustentar tem hoje mais do que nunca hipóteses de ser transformado. É tempo de ação, evolução e o que é fundamental é ser capaz de canalizar as fúrias para processos produtivos.

No céu é a Lua em Carneiro conjunta a Urano, quadrada a Marte a e Plutão e por sua vez Marte que activa a quadratura de Urano a Plutão que dão o mote na terra para essa energia e urgência de inovação, transformação das estruturas, rutura com o passado.

O Sol em Sagitário em trígono nos próximos dias a Urano em Carneiro sextil a Vénus conjunta a Saturno em Escorpião reforça o sinal de que é tempo de abrir novos caminhos que resolvam as dificuldades nas relações pessoais, de poder ou financeiras que necessitam revisão.

Se não resistirmos ao vendaval, até podemos ter algum optimismo quanto ao rumo que as coisas vão levar. Rejeitar a mudança, pelo contrário pode ter consequências mais dificeis…

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: