Nesta semana de Natal, mal Urano entrou directo, a crise que desde Julho, com Urano retrógrado, destruía as entranhas do sistema russo, tornou-se visível e brutal- o rublo entrou em queda acelerada contra o dólar, Putin e o banco central russo tiveram de intervir para segurar o sistema financeiro bancos falidos como o Gazprombank,  o Fundo Monetário Internacional alertou para o facto de esta crise russa poder extravasar para todo o sistema internacional e Putin apresentou uma nova doutrina militar em que aponta a Nato como principal inimigo, nada de novo, mas dito de fresco com acusações de que a Nato está a transformar a Ucrânia numa linha de confronto. É a continuação de Abril.

Os sinais de Abril, Ucrânia em foco

Em Abril passado, a grande cruz cardinal de Urano, Plutão, Júpiter e Marte tocou a Ucrânia, Putin, Washington, a Nato e mexeu com interesses energéticos, geo-estratégicos, nacionalistas e bélicos. A Crimeia já tinha passado para o lado russo e a Ucrânia tornou-se a charneira do maior conflito entre o ocidente e a Rússia desde a guerra fria. Em Junho, Neptuno que rege o petróleo entrou retrogrado e os preços do crude começaram a cair. Em Julho, Urano entrou retrógrado e a crise agravou-se com o avião de passageiros da Malásia abatido em espaço aéreo da Ucrânia e uma sucessão de confrontos locais, pressões internacionais e finalmente sanções económicas contra Moscovo e posicionamentos militares em estado de alerta a partir do momento em que Plutão entrou directo em Setembro. Vista em detalhe, a cronologia do agravamento da situação na Ucrânia, na Rússia e das respostas de Washington e Bruxelas é um extraordinário mapa de movimentos planetários em que os principais actores são Urano e Plutão, numa dança que, conforme se aproximam ou se afastam na série de quadraturas em desenvolvimento desde 2012, coadjuvados pela interiorização e exteriorização das tensões, conforme estão directos ou retrógrados, marca o ritmo e o desenrolar da sucessão de eventos que estão e vão acabar por transformar vários cenários políticos e económicos a que estávamos habituados.

No número de Primavera da revista de Astrologia, Aspas, escrevi, em Março, sobre tudo isto, estes tempos de discórdia e renovação, a Ucrânia na quadratura da nova Guerra Fria, sobre o facto de ser uma crise prolongada, chamei atenção para os sinais, mostrei os mapas em questão e conclui dizendo “O recurso à força bruta ou militar pode fazer parte do processo mas em última análise o verdadeiro motor de resultados será o poder financeiro com Plutão e Saturno em receção mútua no signo do poder e das dívidas . A Cabeça do Dragão em Balança a chegar, em janeiro de 2015, – durante a última quadratura de Urano a Plutão deste ciclo – aos 13 graus de Balança, – o ponto que é ativado em abril – trará assim no arranque do próximo ano resposta diplomática, equilibrada às relações de força em conflito, contas feitas às dependências energéticas e financeiras.” Pode ver aqui a transcrição desse artigo: “ Em Abril, sarilhos mil”. A crise financeira  energética revelou-se agora em Dezembro com a queda do preço do petróleo, o impacto das sanções, a queda do rublo e a ameaça sobre o sistema financeiro. As consequências políticas estão para vir.

O que muda em 2015

Estamos em vésperas de 2015 e é bom olhar para o que se está a passar. Do dia 29 de Dezembro até meados de Março, Plutão está entre os 13 graus e os 14 grau de Capricórnio, em quadratura exacta a Urano entre os 12 e os 15 graus de Carneiro,voltando aos pontos da grande cruz cardinal de abril mas indo mais longe já que em abril ficaram pelos 13 graus e agora a quadratura chega aos 14, ponto chave já que activa o Sol de Putin, a 14 de Balança, o Sol da Nato que se lhe opõe a 14 de Carneiro. Nos 13 graus Plutão faz oposição e Urano faz quadratura ao Sol dos EUA e faz conjunção a Urano, regente da VII da Federação Russa, o que representa os seus aliados, e faz trígono a Júpiter regente da V e da VII, marcador da identidade, nacionalismo e recursos a serem activados pela crise.
Ou seja, desde o final do do ano de 2014 até à Primavera de 2015, as forças mais fortes de crise e transformação em curso, representadas pela quadratura de Urano a Plutão, actuam directamente sobre a Federação Russa, Putin, EUA e Nato, sendo a Ucrânia também abrangida. Para além de Urano e Plutão, Saturno que representa as forças de governo ou ordem vai estar, exactamente no mesmo período, em quadratura ou tensão à Lua, que simboliza o povo, no horóscopo da Federação Russa enquanto no horóscopo de Putin fica oposto à Lua que simboliza a sua popularidade. No horóscopo das últimas eleições na Ucrânia, datadas de Maio passado, não só Urano e Plutão continuam em quadratura como Saturno entra no Ascendente o que significa uma nova fase, podendo o governo cair ou tomar rédeas fortes, mas certamente com alterações de fundo, já que no horóscopo da república ucraniana Plutão e Urano se abatem sobre Neptuno regente da 2, trazendo sérios problemas económicos, uma crise financeira e de recursos próprios gigante e confusa, enquanto Júpiter estimula nacionalismos fazendo conjunção a si próprio, ao Sol e a Mercúrio em Leão e Saturno passa o Meio do Céu, trazendo a afirmação de novas responsabilidades com base ideológica- ocidente ou leste?

Depois dos eventos que se avizinham até Março, vai ser preciso esperar pelo Outono pela consolidação. Urano não volta a tocar os mesmos pontos o que significa que inovação ou libertação a haver ficará terminada na primavera mas a criação de nova bases estruturais de ligações políticas e financeiras não acontecerá antes do final de 2015, mais ainda porque também Saturno vai ter uma retrogradação, ainda passa pelo Escorpião e suas tensões de guerra, política e financeira e só volta a Sagitário em Setembro de 2015, com recessão, controlos bancários, da expansão financeira e ideológicos, todos simbolizados pela restrição dos anéis de Saturno sobre as áreas simbolizadas por Júpiter. Saturno vai estar todo o ano, tal como já em Dezembro, em quadratura a Neptuno, impedindo a subida do preço do petróleo e este aspecto, em conjunto com as sanções económicas do Ocidente, também simbolizadas por Saturno, são tempos frios para a Rússia.
Para já há que estar atento aos primeiros dias de 2015 quando o Sol fizer conjunção a Plutão e quadratura a Urano entre os dias 2 e 5 de Janeiro, dia de Lua Cheia em Caranguejo, signo da segurança, do nacionalismo, das bases instintivas que estimulam as respostas populares. Com o Sol em Capricórnio e a Lua em Caranguejo, poder e povo estão em oposição. Plutão conjunto ao Sol faz rolar cabeças, ou porque o Sol se enche de mais poder e tudo destrói à sua volta ou porque há forças maiores que o destituem. Uma coisa é certa, no contexto das crises internacionais, o arranque do ano trará episódios transformadores da velha ordem, prenúncio dos desenvolvimentos a esperar no final de 2015.

Rosita Iguana, 27 Dezembro 2014

Seguem-se dois Horóscopos para Putin com duas horas possíveis, a primeira alegadamente a oficial, a segunda, por rectificação por astrólogos russos, o Horóscopo da Nato, o da Federação Russa e o das eleições na Ucrânia de Maio.

astro_2atw_01_vladimir_putin.56902.12085astro_2atw_01_vladimir_putin-1.56267.20412

NATO

federacao_russa_russia copyEUA

eleicoes_ucrania

Anúncios