Quando nos interrogamos sobre o que trazem os astros para 2015 não podemos deixar de olhar para trás, para o que tem vindo a acontecer nas nossas vidas e no mundo desde 2012 e que sentimos que nunca mais está arrumado, que nunca mais chega a novo ponto de partida. 2015 vai ser esse ano último de transição para uma nova ordem, o espremer das crises em curso até à última gota, a revelação dos podres ainda escondidos, a libertação de entraves a futuras regras, a definição de novas estruturas de governo, mecanismos de controlo e organização de novas responsabilidades.

O ano divide-se em três tempos segundo a intensidade da evolução desses processos de transformação: o primeiro, mais radical, de Janeiro a Abril, o segundo, de Abril a Setembro em que revemos matéria para preparar o terreno para os passos seguintes e o terceiro, de Setembro até ao início de 2016, em que arrematamos as mudanças e começamos a definir os novos princípios e regras de funcionamento que serão os alicerces da nova ordem, sem nos esquecermos que não vamos começar de cima, mas sim de muito baixo, depois da tábua rasa nos sistemas e dependências pessoais, financeiros e políticos, impulsionada pelas quadraturas de Urano a Plutão.

Carneiros, Capricórnios, Balanças e Caranguejos do segundo decano são os signos que têm em 2015 mais oportunidades de criarem novas circunstâncias de vida, libertando-se do passado, tomando iniciativas, reformulando interdependências, redefinindo bases de segurança, procurando sempre o diálogo e novos acordos, apesar dos conflitos que as transformações possam acarretar. Deve-se isto à última das sete quadraturas de Urano e Plutão que, desde 2012, têm vindo a alterar os paradigmas pessoais e colectivos se verificar, em 2015, entre os graus 13 e 15 de Plutão em Capricórnio contra os graus de 12 a 20 de Urano em Carneiro. Quem tiver a Lua, Ascendente ou planetas nestes graus ou em ângulo a eles terá os ecos correspondentes às energias tocadas mas o importante é lembrar que não é tempo de ficarmos agarrados a seguranças antigas, há que abrir portas de futuro e não o fazer sózinho porque também todo o ano o Nódulo Norte está no segundo decanato da Balança que simboliza a inovação e responsabilidade na busca de acordos pessoais, financeiros ou políticos.

De Janeiro a Março a agitação é grande já que o que ainda não caiu se vê fortemente abalado e o velho tem de dar lugar ao novo com Urano e Plutão em quadratura cerrada a culminar em Março com um aspecto exacto e um eclipse total do Sol a 20 de Março a 29 graus de Peixes. Regido por Neptuno e Júpiter, será uma chamada de atenção fortíssima sobre as ilusões, ideologias, aspectos de fé, com as emoções elevadas. Neptuno está conjunto a Mercúrio, rege o petróleo e no contexto da crise internacional o seu valor será relevante. Será o princípio de novas abordagens com Júpiter, regente de Peixes, em Leão, em trígono a Urano e quincúncio a Plutão e da avaliação de quais são os valores terrenos, palpáveis, a que nos queremos de facto agarrar com Vénus em Touro em quincúncio a Saturno, recém retrógrado em Sagitário. O perigo em termos pessoais é o narcisismo defensivo, e em termos colectivos os nacionalismos agressivos. No mesmo dia, depois deste eclipse temos o equinócio da Primavera e com Sol, Urano e Marte em Carneiro é impossível ficar no passado. As iniciativas estão na ordem do dia há que estar pronto a combater pelo futuro, mesmo que ainda incerto…Plutão em sextil e Urano em semi-sextil a Quíron são o sinal de que é uma oportunidade para sarar feridas antigas, de amor próprio pessoal e colectivo. Tudo depende das intenções e dos métodos…

Depois deste abanão às consciências em Março, as relações não se podiam manter como estavam e assim, um eclipse parcial da Lua no dia 4 de Abril a 14 graus de Balança obriga a por fim a acordos, coligações, contratos, tratados para se forjarem novas alianças. Este eclipse é o eco do eclipse de Abril passado, agora tal como então a Lua activou a quadratura de Urano a Plutão e é bom lembrar que foi quando se agravou a crise na Ucrania com a internacionalização do conflito e se deu uma radicalização popular na Grécia contra as restrições europeias. Agora em 2015, este novo eclipse é conjunto ao Nódulo Norte e activa a quadratura de Urano a Plutão o que significa que também o Sol está envolvido, conjunto a Urano e quadrado a Plutão, novo sinal de mudanças de focos ou chefias e triunfos das emoções ou oposições que querem novos equilíbrios, seja nas relações, nas contas, no poder. Uma vez mais são as Balanças, Carneiros, Caranguejos e Capricórnios do segundo decanato que mais vão sentir a tensão de mudanças com este eclipse. Os Leões estarão mais à vontade com a maré alta que lhes facilita o futuro e os Aquários verão nestas transformações oportunidades de abrir caminho sem grande dificuldade. Saturno neste eclipse está em trígono a Mercúrio em Carneiro o que reforça a importância do discurso, ou a força da palavra como motor dos processos.

Sagitários, Gémeos, Peixes e Virgens do primeiro decanato ou quem tenha planetas nos primeiros graus destes signos são, em simultâneo, quem vai ter de amadurecer e estar pronto a concentrar forças para poder avançar lenta e planeadamente com Saturno recém entrado em Sagitário a impôr respeito e contenção para não dispararmos em todas as direções. Os Sagitários abrem novo ciclo, os Gémeos fazem as contas ao caminho já percorrido antes de insistir ou mudar de rumo, Peixes e Virgens sentem a tensão entre o conquistado e o almejado. Para todos, a chave está em estar seguro do qual é o caminho pessoal de verdade e de expansão e estar pronto a fazer sacrifícios e assumir responsabilidades para prosseguir assumidamente nessa via. isto começou a ser evidente desde o dia 24 de Dezembro de 2014 quando Saturno entrou pela primeira vez em Sagitário onde não estava desde 1986. Fechamos assim um ciclo que abrimos nessa época e nele damos os primeiros passos até dia 15 de Março, dia em que Saturno entra retrógrado e temos de interiorizar o que nos move. A 17 de Junho Saturno retrógrado volta a Escorpião o que nos faz pagar dívidas ainda esquecidas dos últimos dois anos e rematar conflitos de interesses e poder que nos ocuparam desde 2012, e beneficia e dá estabilidade aos Peixes dos últimos graus.  A 3 de Agosto Saturno entra directo e chega novamente a Sagitário a 18 de Setembro recolocando-nos novamente no ponto em que estávamos no natal de 2014 com a diferença que já está tudo esclarecido e podemos entregarmo-nos a estruturar cuidadosamente a expansão com as contas antigas arrumadas.

É também preciso falar de Julho,  quando Marte e Mercúrio em Caranguejo activarem a quadratura de Urano a Plutão, Vénus entrar retrógrada e Urano também. Este é o mês do desenlace das crises, em que cortamos pela raíz dependências e falsas seguranças, definimos novas bases domésticas, familiares, partidárias, nacionais e respiramos fundo antes passar à definição de quais vão ser as linhas com que nos cosemos no futuro quando saturn entrar directo a 28 de Agosto. Como Vénus está retrógrada de 19 de Julho a 7 de Setembro, este e o tempo de desfazer laços para depois construir novos que estarão ao serviço a partir de 9 de Outubro quando Vénus entrar em Virgem. No final de Outubro Vénus, Marte e Júpiter encontram-se conjuntos em Virgem é toda a energia e dedicação é posta no serviço.

Mas voltemos a Setembro, depois de Março, o mês com actvidade planetária mais significativa e, naturalmente, quando podemos contar com o arranque da fase final das mudanças e princípio da reorganização que só poderá começar a assentar e a ter perspectivas de desenvolvimento em Janeiro de 2016 depois de Urano e Plutão começarem a afastar-se (em Janeiro de 2016 estão em quadratura com separação de apenas 1 grau, estando em aspecto de alta tensão com Marte, como em April do ano passado, no início de Dezembro). Em Janeiro de 2016, depois dessa ultima quadratura quase exacta, Saturno abre~se para um trígono a Urano o que simboliza o tempo final da transformação e possibilidade de assentar em terreno livre de ónus antigos.
Esse período final do ano de 2015, que vai por cobro às crises em curso desde 2012,  arranca em Setembro com Plutão directo, Saturno também directo de novo em Sagitário, um eclipse do Sol em Virgem e um eclipse da Lua em Carneiro. Estes aspectos respondem com fulgor aos eventos da Primavera e marcam as posições sobre as quais temos de construir os alicerces de novas relações pessoais, políticas, diplomáticas, numa nova postura de serviço, com Júpiter em Virgem desde Agosto a mostrar que o caminho da expansão e que a verdade das coisas só pode ser demonstrada através do serviço, atenção ao detalhe e respeito por quem trabalha, as pequenas e médias empresas, os serviços, comércio e actividades regidas por Mercúrio. No dia 13 de Setembro, o eclipse e Lua Nova a 20 graus de Virgem lança as sementes de nova administração e acordos sobre detalhes, com base em novas parcerias- porque o Nódulo Norte está nos 0 graus de Balança, com Mercúrio a activar a quadratura de Urano a Plutão. É tempo para combinarmos no trabalho, na política, nos negócios que equilíbrio de relações queremos estabelecer, quem manda, quem já não manda. Poucos dias depois, no dia 18 de Setembro, Saturno entra de novo em Sagitário, como esteve no natal de 2015 a mostrar que nada se vai fazer sem a definição de novos valores, sabedoria, controlo da expansão- pode significar recessão e censura ou leis fundamentalistas mas também pode significar sabedoria, cuidado inteligente e seriedade nas definição dos princípios condutores em que os desenvolvimentos deverão assentar. Saturno faz quadratura a Júpiter que se opõe a Neptuno, de Virgem para Peixes e é claro que vamos ter de arrumar ideias, trazer o pragmatismo para a mesa, tornar os sonhos ou ideais matéria concreta, legislar os princípios. Uma semana mais tarde tudo começa a rolar e a ter consequências com Plutão a entrar directo no dia 25 e o Sol e o Nódulo Norte conjuntos a 0 graus de Balança em sextil a Saturno. Aqui assinam-se os acordos que vão dar gerir os destinos pessoais e colectivos. Três dias depois, a 28, um eclipse da Lua a 4 graus de Carneiro diz a quem ainda quer agir sozinho que não é possível-tudo aponta para soluções consertada, acordos, coligações, parcerias, no trabalho, nos negócios, na política. E com esta base partimos para a elaboração dos novos paradigmas pessoais e colectivos, com imenso entusiasmo e dedicação no final de Outubro, como já vimos, quando Vénus, Marte e Júpiter fazem conjunção a 20 graus de Virgem, com algumas rupturas ou separações quando Marte fizer conjunção a Urano na segunda semana de Dezembro e com a consciência  de que o melhor está por construir,  a partir de Janeiro de 2016.

Bom Ano Novo!!!
Tabela das Retrogradações e Eclipses em 2015

Mercúrio retrógrado
de 22 Janeiro a 12 de Fevereiro- de 17 Aquário até 1 grau de Aquário
de 21 de Maio a 13 de Junho – de 13 graus de Gémeos a 4 graus de Gémeos
de 18 de Setembro a 10 de Outubro- de 15 graus de Balança a 0 graus de Balança

Vénus retrógrado
de 26 de Julho a 7 de Setembro- de 0 graus de Virgem a 14 graus de Leão

Júpiter em Virgem
a partir do dia 12 de Agosto

Saturno retrógrado –
de 15 de Março a 3 de Agosto- de 4 graus de Sagitário a 28 graus de Escorpião- entra retrógrado em Escorpião a 17 de Junho

Urano retrógrado
de 27 de Julho a 27 de Dezembro- de 20 graus de Carneiro a 16 graus de Carneiro

Neptuno retrógrado
de 13 de Junho a 19 de Novembro- de 9 graus de Peixes a 7 graus de Peixes

Plutão retrógrado
de 18 de Abril a 26 de Setembro- de 15 graus de Capricórnio a 12 graus de Capricórnio
Eclipses do Sol
Total a 20 de Março as 00 horas 46 minutos a 29 graus 27 minutos de Peixes
Parcial a 13 de Setembro as 06 horas e 54 minutos a 20 graus e 10 minutos de Virgem

Eclipses da Lua
Parcial a 4 de Abril as 12 horas a 14 graus e 24 minutos de Balança
Total a 28 de Setembro as 02 horas e 47 minutos a 4 graus e 40 minutos de Carneiro

Rosita Iguana, 29 Dezembro 2014

B-3:1 lua_cheia_3_janeiro.

C-3:3_quadratura_exacta_urano_plutao

F-20:3-eclipse_total_do_sol-lisboa

G-4:4_eclipse_parcial_lua.

M-13:9_eclipse_parcial_sol.

N- 18:9-SATUR_sag.

 

Q- 6:1:16_SOL_conju_PLU_q_UR

Anúncios