O que não estava bem pode hoje ser composto. Primeiro há que fazer  o reconhecimento da dor, insatisfação, carência, desconforto ou hiper-sensibilidade às respostas emocionais, com a Lua em Peixes conjunta a Neptuno e ao Quíron. De seguida, há que estar aberto a mudanças estruturais na forma como organizamos sentimos a vida, trabalho, relações, interdependências familiares ou profissionais, com a Lua  e Quíron em sextil a Plutão, Vénus e Mercúrio em Capricórnio. Por fim há que fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para melhorar as condições que nos afligem e mudar o que tiver de ser mudado, com o apoio do trígono de Marte em Escorpião à Lua e a Quíron e a oposição desta a Júpiter conjunto ao Nódulo Norte em Virgem. Trata-se de sonhar e fazer acontecer. É um bom momento para idealizarmos um projecto, o estruturarmos e por em marcha, para sonharmos o futuro, fazermos as mudanças necessárias na ordem existente e nos dedicarmos a fundo à sua concretização. Com Saturno e Urano em trígono de Fogo e em semi-sextis à Lua e a Marte não é de ficar parado mas sim de estar aberto a inovar, com ideias bem arrumadas e capacidade de trabalho para levar os objectivos por diante. O planeamento e minúcia são  essenciais para a visibilidade abrangência dos resultados, com Sol e Júpiter e Nódulo, em quincúncio, de Aquário para Virgem.

A tela chama-se ” Sonho” e é de Marc Chagall, 1939.

astro_w2gw_28_carta_do_dia.67305.2344

The Dream, 1939-1

Anúncios