Não é fácil hoje encarar a fria realidade, as restrições aos sonhos, dores antigas e a necessidade de mudar, contra o que desejávamos segurar. Mas tem de ser. Este arranque de semana, ontem, hoje e amanhã, são dias chave para separarmos as águas das emoções da realidade palpável, ser capaz de repentes libertadores e de falar dos valores em causa.

A Lua em Peixes seria um apelo a viver num mundo ideal e a sonhar com amor sem fim, mas a sua quadratura a Saturno e conjunção a Quiron é o verdadeiro balde de água fria ou chamada à realidade que teremos de confrontar. Em simultâneo, o Sol em Carneiro está em quadratura a Plutão em Capricórnio, sinal fortissimo de tensões de morte e renascimento nas estruturas que partilhamos em casa, no trabalho, na organização da sociedade. O Sol avança para uma conjunção a Urano nos próximos dias e aí sim concretiza-se a mudança de energia como uma explosão libertadora.

Entre hoje e amanhã Vénus e Mercúrio mudam de signo, Vénus entra em Carneiro e Mercúrio em Touro: vamos saber o que queremos das relações,  a que damos valor e vamos pôr as cartas na mesa, defendendo a segurança material ou a materialização da relação. Em resumo, não é tempo de submissão ou de busca de harmonia a qualquer preço, mas sim de defesa do interesse individual.

A tela é de E. Munch

astro_w2gw_28_carta_do_dia.58559.4076

Edvard_Munch_-_Separation_-_Google_Art_Project

Anúncios