Por Clara Days

Palavras-chave: desapego; vontade; renovação; afirmação pessoal
O Carro, Arcano Maior número 7, vem falar-nos de desapego, de sermos capazes de deixar uma situação e partirmos para outra, sem olhar para trás.
Largar o que já não faz sentido na nossa vida é difícil, muitas vezes. O hábito cria rotinas de conforto que se podem ir transformando em entraves à nossa felicidade. No entanto, nem sempre somos capazes de deixar para trás essas âncoras a que nos conformámos. A energia do Carro dá-nos a força para o fazer.
É o momento em que olhamos o espelho e nos dizemos que é altura de seguir em frente. E a vontade de o fazer é aguerrida e corajosa, dá-nos alento e crença na vitória. Com esta vontade o Carro leva-nos para novos caminhos sem medos, abertos para renovar, transformar, desafiar e descobrir novas paragens espirituais ou físicas.
Vamos protegidos, no entanto. A experiência anterior, devidamente processada, permite-nos criar uma couraça defensiva para não voltar a cair nos mesmos erros. Ao mesmo tempo que nos protege, ajuda-nos a equilibrar o que temos dentro com o que está fora, porque a viagem a que nos propomos é sobretudo de auto-afirmação e não nos podemos fechar.
As representações visuais do Carro são literais e mostram um guerreiro real, o condutor, tomando as rédeas e conduzindo os animais que fazem avançar a sua viatura. Em muitos casos percebe-se que deixou atrás de si uma localidade, uma aldeia, um lugar. Os animais que conduz têm aspectos variados, sendo o mais comum os dois cavalos, e frequentemente um branco, o outro preto. Esta dualidade de cor está associada à busca de equilíbrio que a carta propõe, ying e yang, luz e sombra, dia e noite. A dualidade que representam está também patente na direcção das suas cabeças e olhares, não raras vezes cada um em sua direcção. Mas muitas vezes não são cavalos, antes animais mitológicos de várias referências culturais. Seja como for, o condutor fá-los seguir em frente, geralmente armado, um militar, e frequentemente com armadura. A sua atitude é de afirmação de vontade e comando.
O Carro, uma carta de afirmação pessoal, está astrologicamente associado a Caranguejo, signo de água regido pela Lua. Lembra-me a frase de um saudoso amigo, que dizia ser o Caranguejo um animal sensíve, dentro de uma carapaça. A letra hebraica que lhe corresponde é CHETH ou CHET, a dinâmica do partir e regressar. O seu título esotérico: “O Senhor do Triunfo da Luz”.
Esta semana estaremos capazes de largar o que já não nos serve e seguir em frente, animados por uma energia positiva de afirmação pessoal. Saibamos fazer esse exercício de livre arbítrio e seguir em frente, na convicção de que vamos para melhor e na disponibilidade para descobrir o caminho. O caminho faz-se caminhando.

Clara Days
Imagem: O Carro no Tarot de Rider Waite

Anúncios