Por Clara Days

Palavras-chave: síntese final; conclusão; realização; alcance.
O Mundo, designado também como Universo, é a última carta numerada dos Arcanos Maiores do Tarot, o momento conclusivo em que somos capazes de fazer a síntese de um processo. Aparecer hoje, para nos inspirar nesta semana de final de ano, quando inevitavelmente somos tentados a
fazer um balanço do que termina e a planear o que vem, não pode ser uma coincidência.
O calendário dita-nos dias especiais, pelos quais pautamos a nossa vida. E embora a passagem de ano não tenha qualquer relação com eventos cósmicos relevantes, por ser uma convenção humana, está carregada com uma carga simbólica que não podemos desvalorizar. Ninguém é indiferente a esta passagem.
O Mundo / Universo diz que completámos uma etapa e podemos encetar uma nova, num patamar mais elevado, se tivermos sido capazes de aprender com o que passou. O que nos é pedido é que façamos a síntese final, que olhemos para o tempo que vivemos como um todo e lhe procuremos o sentido. Diz também que estamos num momento de conclusão, uma conclusão carregada de energia positiva, em que podemos reconhecer os nossos méritos com optimismo para apostar no que está para vir. Ajuda-nos a arrumar assuntos pendentes e a rever prioridades.
Atingimos uma meta, que mais não seja termos chegado ao fim de 2016, e o Mundo pede que avaliemos o quanto conseguimos alcançar, diz-nos que vêm melhores dias pela frente, se soubermos usar as lições do passado para construir o futuro. E assim chegamos a um fim que é o princípio.
As representações visuais mais comuns nas cartas apresentam como figura central uma mulher, geralmente jovem, que costuma estar envolta numa écharpe ou véu e dentro duma grinalda circular ou ovalada. Empunha geralmente objectos simbólicos como um bastão ou uma esfera. Nos quatro cantos do rectângulo que é a carta, é frequente a presença, como em moldura, dos animais de poder que representam os quatro elementos primordiais: Touro, Leão, Águia, Anjo. A mulher está em pose triunfante ou festiva. A grinalda é de flores ou folhas, evocando a tradição ancestral de coroamento por um sucesso obtido, mas também pode ser um círculo de estrelas, referindo-se ao Universo. Surge ainda como uma serpente enrolada (ouroboros), que simboliza o círculo da vida, o infinito. Em baralhos mais recentes podemos encontrar soluções em que o que vemos é o planeta Terra, solitário ou associado à presença humana da dita mulher ou ainda, pontualmente, a crianças ou símbolos naturais. Nestas soluções viuais, estamos perante a glorificação da Natureza e da vida.
Astrologicamente, o Mundo /Universo é Saturno, um planeta lento e intenso, pai do Tempo, símbolo da sabedoria de uma vida já vivida. A letra hebraica que lhe corresponde é TAU ou TAV, o selo da Criação. O título esotérico desta carta: A Grande Unidade da Noite do Tempo.
Temos pois o Tempo, a conclusão de um processo, a confiança no sucesso, tudo isto como inspiração para terminar este ano. Temos a oportunidade de viver esta semana animados por uma energia harmoniosa entre corpo e espírito, de bem connosco, capazes de ver mais longe. Aproveitemos para avaliar com honestidade o que fizemos, numa postura construtiva de preparar o que está para vir. É tempo de conclusão, tempo de preparação. Se abrirmos os olhos da alma ao futuro, poderemos ir longe.
Imagem  – Tarot de Marselha (séc. XVIII)  Clara Days

Anúncios