1. VHá uma aceleração de iniciativas, contactos, intervenções porque há mudanças de fundo a ocorrer e apesar de ser fim-de-semana não há grande descanso. Com a Lua em Virgem tanto sábado como domingo, é com sentido crítico que temos de analisar o que é preciso fazer nesta fase  e aproveitar no sábado o trígono a Marte em Touro e a Plutão em Capricórnio para pensar, com Mercúrio em Touro, o que vale o que nos propomos fazer, como gerir as mudanças que se avizinham e como melhor servir os nossos interesses, desde a forma como cuidados na nossa saúde, á organização do trabalho, da contabilidade ou serviço geral.

Como o Sol em Carneiro está em quadratura a Plutão e oposto a Júpiter em Balança é preciso avaliar bem como equilibrar a vontade de agir com as relações de interdependência e aceitar que algo tem de ceder na ordem das coisas ou no controlo que temos da situação. Podemos estar a ter iniciativas ou arrancar para novas fases em que teremos outra estrutura de funcionamento em que não estamos sozinhos e é preciso flexibilidade e uma análise detalhada – que a Lua em Virgem permite – para fundamentar os passos seguintes. No domingo pela tarde a Lua entra em Balança, regida por Vénus retrógrada conjunta a Quíron em Peixes e haverá que dialogar com o coração nas mãos sobre a perspectiva pessoal que desenvolvemos no sábado. Tudo a caminho de uma Lua Cheia em Balança na terça feira em que o que separa o Eu dos Outros tem de encontrar um novo ponto de equilíbrio- salte o que tiver de saltar e em vésperas de segunda feira ter Mercúrio retrógrado na levantar confusões e dúvidas que só o método e a atenção ao detalhe atenuam.

Anúncios