Há feridas que não saram com o tempo e mesmo que pareçam ter sido esquecidas, regressam para mais uma oportunidade de as encarar e resolver. Este sábado, é um desses dias, com a Lua em Peixes conjunta ao Quíron, quadrada ao Sol e a Saturno. Ou seja, há uma hiper-sensibilidade que, face ao que é dito e aos limites da razão, nos leva a recair na dor antiga, recordando sofrimentos passados e tudo o que falta para nos sentirmos em paz ou amados. Esta é a versão  da vítima do trânsito. Outra leitura possível é a de, face  a respostas ou circunstâncias que nos soam a maus bocados passados, optarmos por uma nova forma de relacionamento, mais distanciada, menos dependente, com base nas nossas próprias opções. Isto é possível hoje com Júpiter em Balança em trígono a Mercúrio em Gémeos e ao sextil do Sol em Gémeos ao Nódulo Norte em Leão e a Urano em Carneiro, em grande trígono de Fogo a Saturno.

Esta situação de sábado, bem resolvida com iniciativas individuais, independentes, que estabeleçam padrões futuros abre-se no domingo para um maior desejo de acção que no entanto pode trazer conflitos familiares ou confrontos com as nossas próprias base de segurança emocional, dada a quadratura da Lua agora em Carneiro a Marte em Caranguejo. Mantêm-se os aspectos de sábado com o Sol em sextil ao Nódulo Norte a estimular uma reformulação criativa de quem somos e de quais os objectivos que nos movem.

No entanto, é importante, desde sábado e até finais de Novembro, tentar perceber quais as ilusões a abandonar. Neptuno vai estar retrogrado em Peixes durante todo este período o que permite uma melhor reflexão sobre nós próprios de forma a não sermos enganados por projecções, não enganarmos os outros com projecções e não nos enganarmos com as nossas próprias fantasias. O realismo impõe-se mesmo que a sua visão nunca deixe de ser subjectiva..

Anúncios