O mais difícil hoje é saber de facto o que queremos e o mais fácil é pensar que queremos isto e o seu oposto sem olhar para as sombras, convencidos do errado e a tentar convencer os outros que é verdade porque é isso que nos traz segurança. A Lua está em Gémeos, um signo ambivalente, enquanto regido por Mercúrio, neste momento em Caranguejo conjunto ao Sol. Todo o nosso foco está na casa, na família, no país, nas coisas e questões que nos dão o sentido da tradição ou segurança das raízes, mas face a elas há hesitações ou dúvidas quanto às opções a tomar quando deixamos que seja a razão ou insegurança a ditar as escolhas. Para complicar, a Lua  está em trígono a Júpiter em Balança o que nos leva a ouvir demasiadas opiniões ou procurar um excesso de apoios e faz quadratura a Neptuno em Peixes o que confunde também os objectivos com as ilusões de pertença a algo maior ou transcendente. Mas todas as dúvidas se hão de dissipar entre hoje e o final da semana porque Vénus, regente exotérico de Gémeos (as ambivalências são o regente esótérico, racional, Mercúrio quem as levanta ) que diz que o Amor, e a entrega promovem a união dos opostos – está em Touro nos próximos dias em trígono exacto a Plutão em Capricórnio, ou seja, serão os valores seguros, palpáveis, que terão de ser reavaliados  e transformados em algo que nos dará ainda mais satisfação e estabilidade. Podemos comprar, vender, fazer obras, partilhas, estruturar bens e valores de forma a ganhar bem estar e segurança, em casa, em família, imediatamente e para o longo prazo, desde que sejamos capazes de estar por inteiro no processo, sem vacilar entre este ou aquele ângulo, sem contar com a razão mas respondendo sim ao que o coração intui ser o que o que corresponde à nossa essência, com a ajuda do trígono do Nódulo Norte em Leão a Urano em Carneiro e Saturno em Sagitário. Um dia para estar aberto ao que nos é essencial e agir em conformidade.

Tela de René Magritte, 1937

Anúncios