Era bom poder ser ligeiro e, como borboletas, passar de uma flor a outra sem grandes preocupações, abraçando, com curiosidade as diferentes opções ou relações possíveis, com Lua e Vénus em Gémeos em trígono a Júpiter em Balança. Mas não pode ser assim. Um quincúncio de Vénus e Lua a Plutão em Capricórnio obriga-nos a ver as sombras tanto as nossas como dos outros e não podemos ignorar os dois lados da realidade. Por isso reagimos, deixamos velhas ligações emocionais, dependências ou tradições e avançamos para o desconhecido de forma abrupta com o Sol em Caranguejo em quadratura a Urano em Carneiro. Com o Sol e Marte quase em Leão o que é preciso é estar consciente do que somos e como o vamos demonstrar. Mercúrio já em Leão em conjunção ao Nódulo Norte tem o mesmo significado: há que dizer o que nos move o coração

Anúncios