Este é mais um dia de tensão entre as iniciativas que queremos ter e a necessidade de atender às posições dos outros, a nossa própria lógica e as forças profundas que parecem que nos ultrapassam no controlo dos acontecimentos. A Lua está todo o dia ainda em Carneiro, em oposição a Vénus e também quadrada a Plutão e a Marte em Capricórnio, aspectos que se traduzem em conflitos de direcção e relacionamento em que temos de acabar por reajustar os desejos de acção: não podemos fazer tudo o que queremos sem causar perturbações e suscitar confrontos. Em simultâneo, o quincúncio entre Mercúrio em Leão e Plutão em Capricórnio obriga a ir ao fundo das questões sem que possamos dizer o que quer que seja sem pensar nas consequências e naturalmente adaptarmos-nos a forças maiores sem exageros nem sentimentalismos estimulados pela quadratura de Mercúrio a Júpiter e trígono à Lua e com a reserva a que obriga o sesquiquadrado a Saturno. Com o Sol em Virgem não há detalhes que possam ser ignorados e por isso esta quinta feira pede o uso sólido da razão e um máximo de contenção.

Anúncios