Nesta terça-feira podemos ter dificuldade em conciliar o que queremos fazer com o que pode ser feito já que parecem existir forças maiores que nos dobram a vontade ou nos levam a conflitos. A Lua está em Carneiro, a impelir-los à acção ou na expectativa que alguém ou alguma coisa provoquem acontecimentos, mas depois de uma quadratura a Saturno em Capricórnio que começa por nos resfriar a vontade faz quadratura a Plutão também em Capricórnio, sinal de tensão maior entre o desejo e a força das circunstâncias. Em simultâneo, o Sol sai da Balança para entrar em Escorpião, do signo da busca de harmonia para o signo da procura de controlo, onde já se encontra Vénus a acrescentar passionalidade ao desejo, Mercúrio a acrescentar uma lógica de poder e Júpiter a empolgar todo o empenho já intenso em fazer revoluções na ordem das coisas em que pessoal, financeira ou politicamente estamos envolvidos com os outros.

São assim muito fortes os sentimentos que hoje nos dominam e que se vão extremar ainda mais amanhã quando a Lua Cheia em Touro, oposta ao Sol em Escorpião, fizer conjunção exacta a Urano, com Marte em Aquário em quadratura a Mercúrio e a Júpiter o que naturalmente leva a confrontar-nos com as tensões provocadas por exageros, nossos ou alheios. A capacidade de nos distanciarmos e olharmos para as tensões internas e pressões externas com cabeça fria é o grande desafio.O resultado terá sempre de passar pela aceitação de que nada pode ficar como estava e há que adoptar novos valores de preferência que sirvam o bem comum.Júpiter em trígono a Quíron retrógrado em Peixes exige o repor da moralidade ou compaixão que podem ficar esquecidas com tanta tensão entre os signos fixos de Escorpião e Touro. Há que abrir mão, desde hoje, do que não serve a nossa evolução de consciência.

Imagem : Protótipo Irmãos Wright