Há uma grande diferença entre este sábado e o domingo. Enquanto que no sábado, até à noite, o mais importante e fácil é dar novo destino às coisas, arrumar, estruturar, solidificar mudanças recentes, saborear as conquistas-  com a Lua em Touro em trígono a Saturno e a Plutão em Capricórnio, – a partir daí, com a Lua entrada em Gémeos a avançar para uma oposição a Júpiter no domingo, deixamos de ter os pés em Terra mas passamos sim a acelerar em Ar e Fogo, com dificuldade em usar travões, desdobrando-nos em contactos, viagens, aprendizagens, temas múltiplos, falando a partir do Ego dado o sextil da Lua a Mercúrio em Leão, sem naturalmente grandes possibilidades de ter resultados sérios, porque o que se diz está em contradição com a necessidade de inovar realmente com Mercúrio em quadratura a Urano em Touro. O Sol em Caranguejo à espera de ser eclipsado na Lua Nova do próximo dia 2 indica-nos que é na área da casa, família, segurança emocional  ou interesse nacional que tudo se joga, em que uma época termina para dar lugar a uma nova maneira de estar tranquilidade emocional, ideia que é reforçada pelo trígono do Nódulo Norte em Caranguejo a Neptuno em Peixes e em quincúncio a Júpiter. Estamos assim a poucos dias desse eclipse total do Sol e temos sábado para tomarmos medidas concretas, e domingo e segunda para testar hipóteses com um reforço da autoridade própria a partir de segunda com a entrada de Marte em Leão. É esta que vai fazer com que algo escureça e daí surja uma nova luz.