Por Clara Days:
Palavras-chave: pertença; tradição; sabedoria; ideologia.

O Hierofante representa a nossa relação pessoal com o colectivo a que pertencemos, mas também a busca de sentido que cada um de nós percorre a um nível ideológico ou espiritual.
O seu significado original, no Tarot primitivo europeu, referenciava-o ao Papa católico, que regia e determinava as leis e a moral. Com os tempos, esse referencial foi sendo alargado, em duas direcções: por um lado, como Sumo-Sacerdote, é também guia e conselheiro, uma personagem investida de autoridade e digna de respeito, a quem recorremos para nos orientar e que até pode não ser do domínio religioso; noutro sentido, corresponde a uma viagem individual de entendimento de uma ideologia de referência, que não precisa de ser aquela em que fomos criados, mas aquela a que nos queremos dedicar ou que queremos aprofundar.
Parecendo contraditório, mas é como se este Arcano Maior 5 se complementasse, orientando-nos para fora e para dentro: põe-nos em sintonia com a tradição e a comunidade, mas também em busca de harmonia com o que há de mais elevado no nosso íntimo. Representa assim, ao mesmo tempo, conformidade e liberdade. Ele encarna o Princípio da Transcendência Espiritual.
Diferentes baralhos atribuem ao Hierofante (sumo-sacerdote da Grécia antiga) outras designações, além da primitiva, como “Papa”: o Tarot de Osho Zen chama-lhe “O Vazio” (No-Thingness), mas ainda recebe nomes como “Sumo-Sacerdote”, “Vigário”, “Tradição” ou “Revelação”.

Nas representações das cartas, é geralmente um líder religioso e costuma ter em sua companhia seguidores, geralmente dois. A presença de elementos sagrados, como um livro ou uma chave (dos segredos…) atribui-lhe o sentido místico, esteja ou não vestido com um traje ritual. Hoje em dia são também usados, em substituição da personagem, símbolos representativos de ideologia ou orientação, como, por exemplo, uma luz / lanterna ou uma árvore sagrada.
Astrologicamente, o Hierofante está associado ao signo de Touro, de Terra, prático e fértil. A letra hebraica que lhe corresponde é VAV, o gancho que conecta os pilares da criação. O número 5 representa, na numerologia comum, liberdade e curiosidade, enquanto que a numerologia cabalística o associa a autoridade e benevolência. Título esotérico da carta: “O Mestre Triunfante”.

Quem somos, quando referenciados ao que está fora de nós? Onde nos posicionamos? Que lugar escolhemos na comunidade, que guias nos orientam, que regras, que ética pessoal ou colectiva? Até onde valorizamos a pertença a um grupo, até onde somos livres para viver em sintonia com uma verdade interior?
O Hierofante é sempre o representante de uma relação. Apela aos sentimentos ou pensamentos mais elevados, em relação com um Todo que pode ser social, ou não. Sob a sua inspiração, começamos por nos situar.
Ele propõe-nos um enraizamento de compromisso, com um grupo de pessoas, ou com uma ideologia. Daí, vem o sentimento de segurança que transmite. É um ponto de partida com bússola, entendida como sentido e orientação. Podemos partir, ou não, mas haverá sempre a confiança de que nunca estamos sós.

Imagem : Tarot de Marselha, restauro de Camoin – Jorodowsky, 1999

Clara Days