Por Clara Days:

Palavras-chave: Moderação; combinação; equilíbrio; integração.

O que é temperar? É suavizar o que é intenso, mas também fortalecer um metal. É adicionar a um alimento diferentes elementos que lhe trazem novos aromas, num respeito criativo pela sua essência, transformando-o para melhor. É conciliar, compor, harmonizar.
Tudo isto está na Temperança, Arcano Maior nº 14, representante do Princípio da Integração dos Opostos.
Mais do que a virtude cardinal do cristianismo, que visava a contenção dos ímpetos no sentido restritivo da moderação, esta é uma Temperança criadora, que une e concilia, inovando. Está associada à Arte da Alquimia, onde “solve et coagula” (separa e junta – dissolve e recompõe) se refere a elementos banais que, combinando-se, geram algo precioso, sublime.
A Temperança desconstrói conflitos, para retirar dos antagonismos os elementos comuns, pacificando diferenças, que se podem recompor na construção de novas estruturas positivas. É a busca duma harmonia dinâmica, onde os contrários aceitam dar o melhor de si para soluções que ajudam todos. É compaixão, diplomacia, também moderação – no seu duplo sentido, de contenção e de arbitragem. É a harmonia das energias yin e yang, que se complementam, no seu contraste.

Diferentes baralhos atribuem a este Arcano 14 várias designações, desde a “Temperança” tradicional, radicada no cristianismo, à “Arte” da Alqinia, na designação de Crowley, passando pela “Integração” do Tarot de Osho Zen ou de nomes como “Tempo”, “Alquimia”, “A medida certa”. Surge ainda associada a oficiantes ou “santas” de cultos ancestrais, como Brigid, da tradição celta, ou ainda a “FFeryllt”, a magia dos druidas da antiga Bretanha.
Os elementos visuais das cartas emprestam à personagem uma elevação simbólica, na sapiência, ou na espiritualidade: pode ser o arcanjo alado ou a mulher-anjo, com halo de luz na cabeça, e triângulo, estrela ou o símbolo do Sol, na testa ou no peito. Mas pode ser a feiticeira ou mulher de duas caras (sol e lua, dia e noite) que no seu caldeirão combina a água com o fogo, sem que um anule a outra. Costuma ter nas mãos duas taças e passar líquido de uma para a outra, mas pode verter a água sobre a terra, disseminando o sentido da sua intervenção. Pode ter por companhia as bestas primordiais ou a serpente que morde a sua cauda – o ciclo interminável.
A letra hebraica que corresponde a este Arcano Maior é SAMECH ou SAMEKH, o suporte. O número 14 pode ser visto como união de duas entidades puras (duas vezes 7) que se juntam e atingem um novo estado de perfeição. O seu título esotérico: A Filha dos Reconciliadores, a Parteira da Vida.
Astrologicamente, a Temperança corresponde a Sagitário, signo onde neste momento transita o Sol, no seu movimento aparente anual. Sagitário representa a viagem, a exploração de novos caminhos, a abertura à diferença. É o signo do “estrangeiro”. Há nele um grande sentido de liberdade e independência, convidando à mudança e à aventura.

Nesta semana, que hoje começa, somos inspirados para a concórdia.
Tentemos a harmonia, pacificando conflitos externos, ou internos, que nos estejam a bloquear. Procuremos denominadores comuns que permitam uma combinação positiva do que temos vivido como contrastes ou oposições.
Celebremos o que une, não o que separa. Neste tempo de turbulências, escolhamos o consenso das causas comuns.
Mais do que vencer, é importante activar os consensos, com tolerância e espírito criativo. É a acção externa, a partir da calma interna. Não se visa exibição do ego, ou a auto-promoção, mas sim a intenção genuína e verdadeira de querer melhorar a nossa casa comum, na medida das nossas possibilidades.
Está sempre ao meu alcance fazer mais e melhor. Para isso, preciso da serenidade interior de uma certeza que me harmoniza com o resto.
Posso ajudar a melhorar o mundo.

Imagem : Tarot Dreaming Way, desenho de Kuon Shina, 2012

Clara Days: