Energia para a Semana 2 – 9 Fev – XIV A TEMPERANÇA / A ARTE

Por  Clara Days:

Palavras-chave: combinação; transformação; moderação; integração

Será possível juntar feios diversos, para obter um belo? Tristezas alheias, para fabricar alegria? Da mistura de sombras de sentido contrário fazer luz? Será possível atingir o ponto certo do equilíbrio?
“Solve et coagula”, dissolve e combina, combina para transformar. Transformar o banal em algo mais elevado, mais desejado. Aceitar a oposição como mais-valia, que junta os contrários para obter diferente – e melhor. Não ignorar o confronto, antes usá-lo como matéria-prima para o progresso.
Essa é a Arte da alquimia, a que também se chama Temperança. Tem vindo aqui inspirar-nos com alguma regularidade, nos últimos meses.
Fala da combinação dos opostos, com moderação. Uma moderação proactiva, que não se mantém apenas discreta, porque procura resolução. Uma moderação-mediação, que cria as regras do respeito necessário para o conflito produtivo. Uma disponibilidade para mudar e transformar, de dentro para fora da contradição.
Aceita e assume o que sentes conflituoso, porque o conflito é a condição do progresso. O yin que precisa do yang. A noite que precisa do dia. O frio que precisa do quente. E tu a tentares o equilíbrio de um ponto médio ideal, que não existe, mas que é necessário procurar. Tu a procurares a virtude do meio, numa busca de transformação ponderada, de Temperança, de Arte.

A carta da “Temperança”, virtude cardinal do cristianismo que pede modéstia, veio a ser designada como “Arte”, da Alquimia. Mas pode também chamar-se “Integração”, “Tempo”, “Alquimia”, “A medida certa”. Pode ser associada a Brigid, deusa do panteão celta, à Fferyllt da magia dos druidas da Bretanha, ou ser “Flor Dourada”.
Nas imagens, o Arcano Maior 14 é mulher, maga, arcanjo ou menina, raramente apenas natureza. Há água. Água que passa de uma vasilha para outra, obliquamente, água de uma vasilha que se verte no chão e faz florescer, ou na própria água de um rio ou lago; água que, juntamente com fogo, se verte para o caldeirão borbulhante, da sublime mistura. Há símbolos de equilíbrio (yin / yang, duplo rosto). Há animais com poder simbólico como a borboleta (transformação), a tartaruga (paciência), a lebre (fertilidade), a serpente enrolada (ciclo interminável). Há lírios, brancos, amarelos ou arroxeados – associados aos conceitos de inocência e pureza. Há o arco-íris da renovação e da esperança. Há o sol poente (ou nascente?…), crepúsculo ou alvorada, lugar intermédio entre o dia e a noite.
A letra hebraica que corresponde à Temperança / Arte é SAMECH, ou SAMEKH, o ciclo interminável. O seu número 14 pode ser reduzido a 5, que simboliza responsabilidade e versatilidade, ou considerado como o dobro do 7, unindo duas entidades puras que, juntando-se, atingem um estado de perfeição mais elevado. O seu título esotérico: A Filha dos Reconciliadores, ou a Parteira da Vida.
Este Arcano corresponde ao signo de Sagitário, mutante de fogo, das viagens e da vida social, também da capacidade de arriscar e explorar novos lugares ou mundos. É regido por Júpiter, pai dos deuses, grande protector, da expansão e da benevolência, que lhe dá a força da independência – e do desapego…

A Temperança vai pairar sobre as nossas decisões e actos, na semana que hoje se inicia. Vai pedir ponderação e equilíbrio, mas também ajudar na procura de soluções novas.
Se tudo o que projectámos estiver já em marcha, vai moderar excessos e confrontos, permitindo encontrar caminhos de consenso positivo em que todos possam ficar a ganhar. Se o que temos vindo a preparar ainda não tiver arrancado, vai ajudar um começo controlado, onde prós e contras foram avaliados com uma intenção transformadora e não necessariamente cautelosa.
Esta Temperança / Arte vai promover a acção, mas também protegê-la. No balanço de ganhos e perdas, se for caso disso, vai dar-nos o dom de um olhar mais isento e da procura do equilíbrio. Sob esta influência, vamos poder ter mais capacidade de nos colocarmos no lugar das partes em contenda, em confronto ou em competição, para incluir todas no processo de resolução.
A primeira lei de Newton diz-nos que “um objeto que está em repouso ficará em repouso, a não ser que uma força resultante não nula aja sobre ele”. Nesta semana, nas nossas decisões e acções, a força pode vir da activação da dinâmica da Arte sobre a ponderação da Temperança.

Imagem : Tarot Spirit of the Flowers, de Laura Tuan e Antonella Castelli, 2003

Clara Days

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: