Vacilamos nas opções mas temos  resposta seca e pronta a qualquer argumento que nos apresentem. Também tendemos a racionalizar tanto que perdemos de vista o que verdadeiramente sentimos. Estes são os efeitos do trânsito da Lua por Gémeos, desde ontem e até amanhã, num estímulo ainda a ambivalências e descontrolo nas comunicações.

O tom deste trânsito foi dado ontem quando, pela noite, algo nos surpreendeu ou sentimos que era tempo para uma nova abordagem, já que esta Lua começou por fazer um sextil a Urano a Carneiro. Hoje, pela manhã e meio dia oscilamos entre a carência e os afectos genuínos e provocamos relações onde acaba por não existir intimidade já que os jogos da mente dominam a possibilidade de transformação profunda das estruturas, resultado de um quincúncio da Lua a Plutão em Capricórnio.

Mais para a tarde e noite, conseguimos ser mais construtivos e demonstrar maior sentido prático, melhor exposição de ideias ou qualidades negociais, quando a Lua fizer trígono a Mercúrio em Aquário. Segue-se o equilíbrio nas relações em grupo e a capacidade de interagir  de forma harmoniosa, com o trígono da Lua ao Sol em Aquário a terminar o dia.

No entanto, como pano de fundo temos a questão da nossa responsabilidade nas relações. De que é que somos responsáveis? Gostam de nós pelo que nós somos ou pelo que pelos outros fazemos? Não será que fazemos demais para que gostem de nós? Estas dúvidas levam-se com o quincúncio de Vénus em Peixes a Saturno em Balança, uma tensão que tende a ecoar cada vez mais forte nos próximos dias, seja nas relações pessoais, seja nas relações financeiras, à medida que se aproxima o ponto exacto desse aspecto.