Aqui fica o horóscopo para as 11 da noite- hora a que a contagem está quase terminada – que prever? O resultado nos Céus é uma grande cruz nos signos cardinais- Sol, Lua, Plutão Urano e outra quadratura de Saturno a Vénus, Marte e Júpiter que estão opostos a Neptuno, também oposto a Saturno. Apesar do Nódulo Norte e Mercúrio e o Sol estarem em Balança o que implica coligações, os bloqueios são grandes e a confusão também já que uma grande cruz cardinal pede mudanças, acção independente, com pouca tolerância para subordinações ou alianças. Vénus rege a concertação mas em quadratura a Saturno também se torna difícil e a oposição a Neptuno faz oscilar a crua realidade e o sonho de soluções. Marte e Jupiter também bloqueados por Saturno traduz-se em mais bloqueios à acção e à expansão… Dificil…

Se dermos nome aos astros, uma leitura possível é o Sol em Balança representar a actual coligação PSD/CDS com que a Lua -que representa o eleitorado em Caranguejo, emocional, protecionista, em quadratura está em tensão, com desejo de mudança e liberdade pela quadratura a Urano em Carneiro mas em sofrimento e a pesar as coisas confrontando-se com o medo de novas e profundas mudanças estruturais devido à oposição a Plutão em Capricornio. A oposição de Urano ao Sol é o que faz saltar a coligação assim como a quadratura do Sol a Plutão, sinal da tensão entre a coligação e as ditas mudanças estrurais, as que já foram e as que estão para vir pedidas pelo Plutão em capricórnio desde 2008, independentemente da cor do governo- é global- e o peso das dividas a forçar as mudanças nos sistemas políticos e financeiros. E depois há Saturno em sagitário, em quadratura a Vénus em Leão e a Neptuno em Peixes. Saturno pode simbolizar Cavaco… não há amor e bolos, é mais frieza, controlo, sem fantasias, limites á identidade criativa e, como Vénus rege a Balança onde está o Sol, a cabeça do dragão e Mercúrio , limites à expressão de novos acordos, novas coligações, resultado do voto. Ou seja, o voto é a grande cruz que pede mudança. o resultado do voto não dá maiorias absolutas devido ao Sol, Merc e Nódulo em Balança o que exige novas coligações e o Saturno, leia-se o presidente da República, bloqueia…. nada que não esteja já nos comentários politicos mas interessante como há correlação…

Acontece que no dia 4 de Outubro Mercúrio está retrógrado o que nunca ajuda muito a resolver contagens nem comunicações e fica retrogrado até dia 10. Isto vai dificultar certamente as conversas para alianças partidárias porque o Mercúrio está em Balança. Entretanto dia 7 o Sol faz quadratura a Plutão- ruturas mas só na segunda-feira é que faz oposição a Urano retrógrado, libertações,  depois de um fim de semana em que Vénus entra em Virgem e faz quadratura exacta a Saturno. Por isso, por estas contas, clareza sobre o que vai ser que tipo de alianças ou soluções, só depois de dia 10… e mesmo assim…

Pergunta se a data escolhida  é boa… se tivesse sido agora em Julho, antes de dia 27, seria mais fácil mudanças porque Urano está directo. Urano rege revoluções, liberdade, em Carneiro pede inovação- mas Urano esta retrógrado de 27 de Julho até ao Natal…. só então entra directo para completar a última a quadratura Plutao em Janeiro Fevereiro e só em Março de 2016, é que ha um vislumbre de um trígono não exacto a Saturno em Sagitário- o que corresponde ao tempo das eleições presidenciais….  ganha um candidato de esquerda? Também Saturno até ao Natal está quadrado a Neptuno, sinal de impossibilidade de sonhar a acrescentar ao quadro de recessão tradicionalmente pontuado pelos trânsitos de Saturno em Sagitário. Julho teria sido melhor para vingar a mudança mas tudo seria dificil á mesma….

A seguir…

astro_w2gw_66_carta_do_dia.65147.29154

Anúncios