A verdadeira revolução faz-se se soubermos controlar as expectativas e devaneios e definir princípios para o futuro. Há que fazer reformas ou mudanças estruturais na forma como governamos a casa, o trabalho, país ou as estruturas de que dependemos. Muitas dessas transformações de fundo estão na calha desde 2012, outras são consequência do que aconteceu desde então. Nesta primeira semana de 2016 há um novo alento para promover essas revoluções estruturais com o Sol conjunto a Plutão em Capricórnio, quadrado a Urano em Carneiro, na última das sete quadraturas dos últimos anos, entre Plutão e Urano.  Mas há que consquistar sabiamente….Saturno é o regente de Capricórnio, símbolo do Tempo e da Ordem e o facto de ter hoje junto a si  a Lua e também  Vénus, a aproximar-se de uuma conjunção exacta significa que emoções e valores, medos e relações, sensiblidade e paixão, desejo e afectos têm de se submeter a regras que definam como nos vamos poder expandir e a forma mais eficiente de o fazer, já que Júpiter regente do Sagitário está em Virgem conjunto ao Nódulo Norte. Sentido prático e dedicação a causas de progresso, ao crescimento ou expansão dentro de quadros bem claros e que façam sentido a longo prazo é o que permite que a conjunção do Sol a Plutão e quadratura a Urano seja uma revolução bem sucedida em fez de um guerra frustrada com nós próprios ou com quem mais cuidadosamente se preparou. Mercúrio retrógrado em Aquário e Neptuno quadrado a Lua, Vénus e Saturno representam a obrigação de rever a lógica e não ir atrás de fantasias na avaliação critíca do que é preciso corrigir. Marte em Escorpião a avançar para um trígono a Neptuno é o risco de uma guerra santa mas também a capacidade de agirmos em nome de ideais, depois de definida uma agenda prática.

A fotografia é de André Kertesz, húngaro/americano- 1894-1955

astro_w2gw_28_carta_do_dia.78628.28653

10470_Andre_Kertesz

Anúncios