Correr riscos é o grande risco do dia, uma segunda-feira primeiro dia do mês em que as as energias para demonstrar o que queremos estão em conflito com a posição que ocupamos. A Lua está em Escorpião conjunta a Marte pelo meio-dia GMT, um trânsito de extrema tensão emocional já que nos leva a desejar controlar todos os processos, não de uma forma estática mas sim activa, para dominar mudanças profundas que afectam a nossa base de segurança emocional. Para viver uma boa integração social, para nos sentirmos parte de um mundo maior, representado pelo Sol em Aquário, temos que abandonar velhas dependências, partir sem olhar para trás, nessa Lua conjunta a Marte que também nos pode tornar tão obsessivos com o nosso próprio processo que não aproveitamos o que o exterior tem para nos oferecer. No entanto há uma promessa de cura de dores antigas, como soubessemos que a partida é o que nos salva, graças ao trígono de Lua e Marte a Quíron em Peixes.

Desde ontem que a quadratura de Mercúrio em Capricórnio a Urano em Carneiro é outro sinal de que temos de lidar com outras formas de vida, outra organização pessoal, social, profissional e o avanço de Vénus para uma conjunção a Plutão no final da semana é a promessa de que valores e relações se encaminham para mudanças profundas, na senda do que esta segunda feira iniciarmos. O sentido prático, atenção ao detalhe e dedicação à organização ou serviço continuam a ser chave com Júpiter e Nódulo Norte no signo da Virgem, regido por Mercúrio.

A tela é do russo Alexander Aleksandrovich Deineka, 1899-1969

astro_w2gw_28_carta_do_dia.49182.41540

3e6328007b0754a1acc082c6045f81c9

Anúncios