O mais certo este domingo é termos de nos confrontar com alterações ás rotinas ou ordem com que contávamos, seja porque somos nós próprios a liderar o processo seja porque as circunstâncias a isso nos impelem. A Lua em Capricórnio faz hoje conjunção a Plutão, um trânsito de alta tensão emocional com consequências domésticas ou familiares que levam a uma re-avaliação da necessidade de controle  das estruturas em que estamos inseridos. Em simultâneo – e desde ontem – há algo que está a mudar na forma como nos relacionamos no amor, nas ligações pessoais ou financeiras, com a justiça a que aspiramos entre o que damos e o que recebemos, com Vénus em Balança em quadratura a Plutão. Unimo-nos ou separamo-nos com estes trânsitos com um só propósito: o de estabelecer a nossa verdade, de forma pragmática e com a certeza de que temos de fazer diferente, com Saturno em Sagitário em quadratura a Neptuno em Peixes e Marte também em Sagitário a avançar para um trígono a Urano em Carneiro. Face a esse Fogo que nos move, o Sol, Mercúrio retrógrado e Nódulo Norte em Virgem põe o foco no detalhe e sentido prático da vontade, enquanto Vénus, Lua e Plutão nos obrigam com isso a revolver as relações para que reflictam o sentir e os objectivos. Júpiter em Balança é o garante de que mais paz, mais amor, mais justiça devem ser os ideais a expandir.

Picasso, período azul, 1904

astro_w2gw_28_carta_do_dia-53528-16967

Anúncios