Todo o fim de semana temos de nos confrontar com feridas antigas de rejeição, desamor, falta de solidariedade enfim, tudo o que faz doer por dentro, que não mostramos, guardamos anos a fio como se tivesse passado e volta e meia ressurge com a mesma intensidade. Esta re-erupção desses sentimentos de carência e frustração tem um fito que é o sarar das úlceras através da comunicação e compreensão do que estava em causa. Quíron em Peixes simboliza essa dor funda, Saturno em Sagitário simboliza a reformulação de conceitos e apuramento de verdades e a sua quadratura é a tensão que pede ser libertada e ultrapassada através de trabalho interior, psíquico, pessoal, com diálogo e consequente transformação. A Lua no sábado, em Gémeos faz oposição a Saturno e quadratura a Quíron trazendo à conversa, ainda com maior intensidade, essa tensão interior que se prolonga domingo, com a Lua já em Caranguejo à procura de novas bases de segurança emocional, resolvidas ou não essas feridas tocadas. O sextil da Lua ao Sol em Touro no domingo à tarde ajuda a assentar emoções e a valorizar o que temos, em casa, em família e Vénus em Carneiro incita a ir atrás do que nos apaixona. A dificuldade é que Marte, regente do Carneiro está no signo dual de Gémeos e podemos não ter bem a certeza qual a melhor opção. Uma coisa é certa, é a falar que tudo se esclarece, com Mercúrio regente dom Gémeos em Carneiro, conjunto a Urano e ainda em sextil a Saturno a dizer-nos para falar com seriedade, verdade e sem medo da diferença,

Anúncios