Casa, família, tradições, aquilo a que nos agarramos por necessidade de segurança básica está hoje na mesa para revisão. Isto acontece porque de facto queremos qualquer coisa diferente, queremos mudar, largar, refazer, noutros moldes ou com outros parceiros, à procura de realizar  sonhos, resolver carências, ultrapassar limites. A Lua está em Caranguejo, o signo das Águas primordiais, das emoções instintivas, amarras às raízes, em trígono a Neptuno em Peixes que pede que vamos ao encontro do que idealizamos. Para que isso aconteça há que fazer da quadratura a Urano e Mercúrio em Carneiro e a Júpiter em Balança assim como da oposição a Plutão em Capricórnio o trampolim de transformação de situações estagnadas que pedem uma nova acção libertadora, inteligente, de preferência em concertação desde que esta não bloqueio o processo transformador. Com Vénus em Carneiro sabemos o que queremos, com Quíron tal como no fim-de-semana, em quadratura a Saturno, sabemos onde não queremos que doa mais, com o Sol em Touro, há a pressão de ter resultados palpáveis, mesmo que seja preciso discutir as possibilidades com a ajuda de Marte em Gémeos. Não podemos atrasar o processo, resistindo à mudança.

Anúncios