Há que ser realista, muito realista…Não há hoje lugar a fantasias, sonhos, especulações, manobras evasivas, projecções de grandeza ou de possibilidades sem fim. Não é que não aspiremos a ir mais longe, aprender, abrir horizontes, mas isso só é possível se assente em bases de grande realismo, com cálculo de limites e responsabilidades e uma ideia clara onde se pretende chegar a longo prazo. A Lua está em Sagitário, conjunta a Saturno, quadrada a Marte e a Mercúrio em Virgem e também a Neptuno em Peixes antes de outra quadratura a Quíron também em Peixes, aspecto que promete que dói se não baixarmos as expectativas e pensarmos também no que temos para dar em lugar de nos fixarmos nas carências. Com Sol e Júpiter em Balança e Vénus que a rege em Virgem conjunta a Marte ambos regidos por Mercúrio que também está em Virgem, é o serviço das relações pessoais, financeiras, profissionais, políticas que nos consome. As dificuldades de gestão emocional e relacional são agravadas pela oposição de Júpiter a Urano em Carneiro, num crescendo até ao final da semana quando Plutão também entra directo. A questão que este aspecto levanta é se devemos avançar em conjunto ou individualmente e é difícil mas desejável encontrar um meio termo que satisfaça simultaneamente a impaciência para largar tudo e a atracção para formar parcerias. Marte em trígono a Plutão aconselha desde já a trabalhar seriamente todas as questões.

Anúncios