Todo o fim de semana o que mais conta é o valor que damos ao que temos, o desejo de ter o que não temos e a necessidade de defender valores palpáveis ou imateriais desde que neles acreditemos e deles dependa a nossa segurança. Há contas a fazer e não são fáceis porque no caminho dos resultados desejados há princípios, regras,  limites e responsabilidades que resfriam o entusiasmo e pesam nas relações pessoais, contratuais, financeiras, políticas, contratuais. No fundo, é a gestão das relações que está em causa, com a Lua em Touro e Vénus seu regente em Virgem, conjunta a Marte, em quadratura a Saturno em Sagitário.  Mas já enquanto estamos a deitar contas à vida sabemos que esse exercício vai obrigar a uma nova ordem nessas mesmas relações, seja qual for a área que nos ocupa, a pessoal, a financeira ou colectiva.  O Sol em Mercúrio em Balança estão em aspecto a Plutão em Capricórnio, numa quadratura que será exacta no próximo dia 10 e que nos força a abdicar de certo laços para que outros se formem e possamos entrar numa fase de regeneração profunda do que é partilhado, física, material, espiritualmente e em termos de poder, com a entrada de Júpiter em Escorpião onde vai ficar durante um ano.  É um fim de semana sério para que haja reflexão sobre o que vale a pena guardar e o que devemos descartar.

Anúncios