Há novas cartas na mesa, relações que se quebram e se formam com mudanças súbitas de paradigma porque, no fundo há que fazer alterações profundas na organização das coisas e tem de se começar por algum lado. É este o sentido da Lua Nova de hoje em Balança, naturalmente conjunta ao Sol no  signo onde também se encontra o seu regente Vénus que aqui busca o equilíbrio entre o que damos e recebemos, que defende as  regras e leis para o garantir, que quer a paz e a beleza como icons dos relacionamentos, que defende o preço justo de todas as interações.  Mas hoje, neste dia de semear uma nova fase desses equilíbrios, Urano opõe-se, do Carneiro, à Lua e ao Sol, com Marte seu regente ainda em Virgem. É isto que traz a ruptura, surpresas, gestos unilaterais que radicalizam esforços de harmonia e levam a golpes no tecido que sustenta ou serve as relações. A dar corpo a esse ímpeto individual está o trígono de Urano ao Nódulo Norte em Leão, ambos teoricamente apoiados nas ideias e propósitos laboriosamente  elaborados pelo trígono a Saturno em Sagitário, um grande trígono de Fogo que se traduz em acção que vai contra o que está estabelecido. Por isso há que criar novas bases, porque há uma nova ordem que tem de se afirmar com actores a sair e outros a entrar a cena.

 

Anúncios