Por Clara Days:
Palavras-chave: natureza; sentidos; maternidade; fecundidade.

Depois de na semana passada termos tido a companhia do Imperador, a balança equilibra agora com a Imperatriz, seu complemento, em tudo simétrica, no que toca a qualidades e características. Da esfera social, transitamos para o mundo natural.
A Imperatriz representa o lado físico e natural do princípio feminino, enquanto que a Sacerdotisa está relacionada com o lado metafísico e universal desse mesmo princípio. Digamos então que ela está no Tarot como símbolo das Forças da Vida, representando a fecundidade em todos os planos.
No plano humano, ela é a Mãe, geradora de vida e cuidadora, entendendo o amor na sua fisicalidade. Não sendo irracional, é sobretudo natural, e assim se ajusta e adapta ao espaço e ao tempo, à natureza e aos seus ciclos, ao equilíbrio entre os seres viventes. Está em harmonia com o seu corpo, com os sentidos e as sensações.
A dedicação aos outros, baseada num amor incondicional, é uma das suas principais características deste Arcano Maior 3. Com efeito, para a Imperatriz, é como se o bem-estar alheio fosse o seu próprio bem-estar. Ela acolhe sem julgar, protege, ajuda a fazer crescer. Há prazer e criatividade, no seu modo de se relacionar. No pior dos casos, esquece-se de si mesma, em favor dos outros.

As representações visuais das carta evidenciam o seu carácter real, pela indumentária e postura. Mas é frequentemente mostrada grávida, rodeada por símbolos naturais. O imperial e o natural coexistem nestas figurações, com elementos visuais que lhes correspondem: a coroa ou as flores; o ceptro ou espigas maduras; o escudo com a águia ou os animais silvestres. É frequente a presença da flor de lótus, símbolo de harmonia universal. Se no Tarot mais tradicional a sua função real imperava, na visão contemporânea a presença do natural foi-se impondo e predominando, em cada imagem da Imperatriz.
Astrologicamente, ela é Vénus, regente do amor, da sensualidade, da alegria e do prazer, símbolo da atracção entre o seres. O seu número 3 é, antes de mais, o fruto da união do 1 com o 2, passando a ideia de frutificação e de síntese da acção dos anteriores. A letra hebraica que lhe corresponde é DALETH, a porta. O seu título esotérico: “A Filha dos Poderosos Uns”.

Sob a influência da Imperatriz somos convidados a dar atenção ao nosso corpo físico, a cuidarmos de nós. É um tempo bom para investir em actividades prazerosas e criativas, em que a nossa faceta artística se possa exprimir.
É também um tempo para nos ligarmos ao natural, usufruindo ou cuidando do ambiente e dos seres vivos – plantas, animais. Poderemos sentir-nos mais disponíveis para o bem-estar descomplicado, para os prazeres quotidianos, valorizando-os.
A Imperatriz simplifica, põe as “mãos na massa” com gosto e alegria. Uma semana com ela pode funcionar como terapia, proporcionando condições para a harmonia e equilíbrio físico e emocional, a partir das coisas pequenas do nosso dia-a-dia – o comer, o dormir, o rir, o cantar, o passear, o namorar….
Sejamos proactivos, na procura do bem-estar pessoal. Há sempre uma maneira de nos oferecermos prazer e alegria. Investamos nisso.

Imagem  – Tarot de Rider-Waite – desenhos de Pamela Colman Smith, 1910

Clara Days

Anúncios