Só pelo final do dia conseguimos conciliar os interesses e os ímpetos que nos movem já que até lá os limites de tempo, responsabilidades lógicas e controlo aos movimentos nos impedem de responder ao apelo das emoções. Assim, até que a Lua entre em Carneiro e pela noite faça trígono ao Sol em Sagitário torna-se necessário submeter o coração à razão com a Lua conjunta a Quíron em Peixes em quadratura a Mercúrio e Saturno conjuntos em Sagitário.   São as conversas sérias que levantam velhas feridas, são as velhas feridas que requerem uma nova abordagem racional, é o desejo de fuga que é frustrado por exigências práticas, enfim, todo um rol de possibilidades deprimentes que têm uma única saída que é a do respeito das limites existentes e o esforço de pensar melhor onde e com quem se quer estar a longo prazo.Isto porque Saturno e Mercúrio estão em quadratura a Marte em Balança que avança para uma oposição a Urano em Carneiro, sinais fortes de mudança das regras, alteração do equilíbrio das relações e da necessidade de reflexão e contenção para não provocar estragos irrecuperáveis. Há um potencial explosivo neste aspecto de Marte a Urano em resposta à quadratura a Plutão de meados de Novembro, na Lua Nova de dia 18, como que o que tivesse sido posto em marcha então chegasse a um novo patamar em que vemos melhor quem está connosco e quem está contra nós. Pela noite Lua e Sol em trígono em signos de Fogo dão-nos o alento para novas iniciativas mas há sempre que bem estudar a lógica do que se pretende.

Tela de Edward Hopper,1928

Anúncios