Por Clara Days:
Palavras-chave: afirmação; consciência; auto-estima; expansão.

Chegou o Sol, caloroso e expansivo, iluminando com confiança e generosidade. Representa a totalidade da luz do Universo.
Sendo fonte de luz, é fonte de vida. No plano humano, refere-se à individualidade, ao “Self”, o Eu Central. Inspira-nos para que estejamos de bem connosco e nos abramos aos outros, assumindo quem somos sem reservas nem receios. Faz-nos compreender que o que damos com generosidade não nos faz perder, mas ganhar.E o mais importante que podemos partilhar é dar de nós, estar disponível, aberto ao que se passa à nossa volta e, sobretudo, aos nossos semelhantes.
O Sol traz confiança e impulsiona a nossa expansão pessoal. A expansão da consciência está implícita, numa relação dinâmica: eu vivo no meu corpo, que amo e devo cuidar, mas não sou o meu corpo.
A luz do Sol irradia em mim e ajuda-me a ver melhor, tanto no plano externo como no interno. Quando vem o Sol, os medos deixam de estar escondidos em cantos escuros da minha mente, ficam mais fáceis de ver e de entender. Posso dominá-los melhor e assim me pacifico.
É a paz interna que me abre para fora…

Nas representações visuais das cartas, o Sol do Tarot é geralmente humanizado, com um rosto simpático. Nos baralhos mais ancestrais ele estava na mão de alguém, que podia ser uma mulher, um anjo ou anjos. Mas os anjos vão passando a aparecer como crianças sorridentes, nuas e terrenas, que são geralmente centrais na carta, como que dizendo que a criança que fomos é o mais verdadeiro de nós. Há nas imagens elementos simbólicos recorrentes, sobretudo os girassóis, flores que estão indissociavelmente associadas ao movimento aparente diurno do astro-rei. Também um muro separador, à frente do qual a acção se passa, afasta as personagens dum lado “de lá” (jardim escondido? lugar de medos?) que fica confinado, dominado. Um cavalo branco, lembrando liberdade e positividade, pode transportar a criança, que empunha uma enorme bandeira vermelha, alegre e régia.
Astrologicamente, com toda a naturalidade, o Sol corresponde ao Sol, “planeta” do Eu, da afirmação pessoal. O número 19 é um número primo relacionado com o 10 e o 9, passando uma ideia de ciclo completo que volta à unidade. A letra hebraica que lhe corresponde é RESH ou REISH, a arte da clarificação. O seu título esotérico: “O Senhor do Fogo do Mundo”.

Esta semana lembremo-nos que, por mais escura que seja a noite, o dia voltará para iluminar o nosso mundo pessoal. É uma certeza de que a luz vencerá as trevas, alternará com elas, mas será a nossa bandeira.
Há uma energia que nos leva a afastar as sombras que temos à volta, a olhar para elas com olhos de ver e sem medos – faz-se luz. Há um impulso que nasce e nos traz mais resiliência, mais optimismo e confiança. O Sol não resolve problemas, mas ajuda-nos a clarificar a nossa visão deles e assim a podermos encontrar soluções.
Aproveitemos esta influência benfazeja para sentir orgulho pelos nossos feitos, seja qual for a sua escala. Reforcemos a auto-estima com a consciência de que demos o nosso esforço e fizemos o que estava ao nosso alcance, por isso devemos celebrar cada pequena vitória. Cada passinho de pardal é um avanço, sempre.
Dessa auto-estima virá a força para caminharmos em frente e arriscarmos novos trajectos e soluções.

Imagem : Tarot de David Palladini, 1970

Clara Days

Anúncios