Podemos querer socializar, brilhar, ter iniciativas para encontrar eco ou simpatias mas rapidamente nos depararmos com uma parede de responsabilidade ou limites que podem cortar o sorriso ou o ego mas que lembram a necessidade de mais esforço ou organização e menos impulso. A Lua entra em Carneiro a meio da manhã, GMT, em sextil ao Sol e a Vénus em Aquário no que impele à acção de impacto social mas faz em simultâneo uma quadratura a Saturno em Capricórnio, em vésperas de fazer também quadratura a Mercúrio e a Plutão. Isto serve para recordar que não podemos fazer o que queremos mas sim o que podemos e que tenha sentido a longo prazo, com responsabilidade e cálculos das consequências, como se só ganhássemos o que merecemos e não o que desejamos. Júpiter e Marte em Escorpião continuam a obrigar-nos a ir ao fundo das questões e por isso não só temos de ser sérios como não deixar pedra por revolver na busca de renovação ou regeneração do que está estagnado na partilha de bens, poderes ou sentimentos viscerais. Tudo se joga no grande palco do lugar de cada um no mundo, com Sol e Vénus em Aquário e o seu regente Urano em Carneiro. Que fazer para que nos oiçam com agrado? Ser responsáveis, fazer bem as contas e estar prontos para mudar tudo.

 

Anúncios