A grande tensão do dia é a que se coloca entre o desejo de exprimir a nossa própria identidade,    desígnios, urgência ou dramatismo e uma força que nos puxa para os amigos, o grupo, a sociedade que gostaríamos de integrar sem turbulências mas cujos parâmetros não correspondem, vemos nós claramente hoje, ao que o instinto nos diz. Afinal de que lado estamos? Podemos estar dentro estando fora? Há compatibilidades passíveis de negociar?  Ou tudo se resolve se fizermos mudanças profundas na ordem das coisas, apontando a seta rumo a novos horizontes com base noutra verdade? Podem ser questões domésticas, familiares, profissionais, sociais mas a fonte de tensão é a mesma: entre mim e os outros há diferenças que causam desconforto e por isso amarras emocionais que têm de chegar a termo porque estamos não só sob uma Lua Cheia em Leão que se opõe ao Sol em Aquário, como se dá um eclipse total da Lua , conjunta ao Nódulo Norte e oposta, para além do Sol, a Vénus também em Aquário. Os dois regentes do Aquário, Saturno e Urano estão respectivamente em Capricórnio e em Carneiro, apontado para a necessidade de criarmos uma nova ordem com base em iniciativas que, porque Marte regente do Carneiro está em Sagitário – nos façam ir mais longe, desbravar caminho, revelar verdades. E porque Júpiter regente do Sagitário está em Escorpião em recepção mútua com Plutão, é preciso fazer alguma revolução para ter sair dos impasses. Hoje, a seguir à Lua Cheia e eclipse, Mercúrio entra em Aquário. Vamos ter de explicar ao mundo a nossa visão própria de como esse mundo deve ser. São tempos de grande responsabilidade.

 

Anúncios