Por Clara Days:
Palavras-chave: individualidade; expansão pessoal; afirmação; auto-estima.

E eis que chega o Sol, luminoso e generoso, a lembrar que cada um de nós é o centro do seu universo pessoal e nessa medida pode ser uma fonte de boa energia para consigo e para com os outros. O Sol mostra-se na sua verdade, sem disfarces, falsas modéstias ou reservas: é o que é e representa um tempo de expansão pessoal, de auto-afirmação gentil, sem pretender sobrepor-se ou opor-se a alguém. É o símbolo da nossa autencidade, trazida para fora.
Venerado desde tempos imemoriais, o astro-rei simboliza poder mas também protecção, como uma figura paternal celeste, bondosa, fonte de luz e geradora de vida. A interpretação psicológica dos desenhos infantis associa a representação do sol à energia masculina e ao lado independente e combativo da criança que o desenha.
O Tarot atribui-lhe o papel de representação da individualidade e da consciência, a consciência que temos de nós mesmos, mas amadurecida e iluminada. Não se deixando iludir pelos detalhes ou circunstâncias, dá-nos a ver a nossa verdade interior, aquilo que de mais único e autêntico temos para dar. Representa uma energia que, ao partilhar-se, se engrandece. O Sol simboliza o “self”, a consciência de si, mas também tem uma leitura mais espiritual, que nos dá a certeza de que quem somos e o que trazemos pode estar em harmonia com os outros e com o mundo, com as criaturas vivas e o nosso planeta, alinhando-se na dinâmica da energia que regula o universo.
Essa dupla leitura, que nos centra em nós, mas ao mesmo tempo nos sintoniza com tudo o que está fora de nós, é a grandeza do Arcano Maior 19.

O Sol das cartas tem rosto humano, na maioria das representações. Pode surgir só ou iluminar outros, humanos, animais ou plantas. As crianças (geralmente um par) são as personagens mais recorrentes, numa alusão à autenticidade individual, à verdadeira essência de cada um. A introdução de um cavalo branco, que a criança cavalga, vem desde o século XV, no Tarot da colecção Cary-Yale, e influencia múltiplos desenhadores. A presença de girassóis, as flores que seguem a trajectória solar ao longo do dia, é outro elemento muito comum. Do Sol pode sair a luz que cai como lágrimas coloridas, ou que é enfatizada por diferentes recursos estilísticos. É frequente a representação de um muro, por trás das personagens-crianças, que ocultará o que está escondido, e que assim o desvaloriza. Interessa o que está de fora, o que se mostra, e todas as cartas que representam o Sol aparentam alegria e optimismo, nas expressões e posturas. Baralhos há que associam este arcano a símbolos visuais de omnisciência, poder ou espiritualidade, de acordo com diferentes influências culturais, filosóficas ou religiosas.
Este arcano maior é associado astrologicamente também ao Sol, o “planeta” que caracteriza o nosso mapa astral e que representa o Eu e o modo como nos mostramos ao mundo. A letra hebraica que lhe corresponde é RESH ou REISH, a arte da clarificação. O 19 é um número primo relacionado com o 9 e com o 1, passando uma ideia de ciclo completo que inicia e termina na individualidade. Título esotérico desta carta: “O Senhor do Fogo do Mundo”.

Temos esta semana a energia do Sol, arcano maior 19, para nos ajudar a perceber até que ponto estamos a viver de acordo com o que somos, ou antes a funcionar em total dependência das circunstâncias externas. Ele diz-nos que, mesmo em situações adversas, podemos sempre encontrar um modo de estar mais conforme à nossa verdade interior. É esse o principal objectivo em que nos devemos focar.
Geralmente, há uma sensação de vitalidade associada à energia desta carta, que nos inspira a coragem para a auto-afirmação. Devemos compreender que se trata de uma influência firme mas generosa, que não se posiciona contra os outros, mas sobretudo a favor de nós.
É importante que encontremos a forma de nos expandirmos pessoalmente, sem disrupções ou confrontos, antes com uma energia positiva que é sentida assim por todos. Isto depende muito mais do nosso modo de agir, da nossa atitude positiva, do que das dificuldades ou constrangimentos que temos de enfrentar.
Centremo-nos nisto: com o Sol a inspirar-nos, podemos ser mais capazes de compreender o que devemos fazer para estarmos de bem connosco e, ao mesmo tempo, encontrar a atitude e as palavras certas para que os outros entendam essa nossa nova posição como uma melhoria para todos, não como uma confrontação ou um recuo.
O Sol é a maior fonte de vida para o nosso mundo. Sejamos nós também uma fonte de energia positiva.

Imagem : Revised, New Art Tarot Cards (Knapp-Hall Tarot), de Manly P. Hall com desenhos de J. Augustus Knapp, 1929

Clara Days

Anúncios