Durante este período temos dois tempos chave: a Lua Nova em Peixes no dia 17 e o ingresso do Sol em Carneiro no dia 20 pelas 4 da tarde GMT. Até à Lua Nova, o desafio de dias 14,15 e 16 é o de identificarmos os valores espirituais, amorosos, de empatia, compaixão ou dádiva que queremos como pano de fundo para a nossa actuação. Nestes dias,  Marte está ainda em Sagitário a dar mais fogo às ideias, ao que sentimos como verdade a defender, à abertura de horizontes físicos e mentais. No dia 17, dia da Lua Nova em Peixes – data em que resolvidos esses desafios já devemos ser capazes de unir corpo e alma no mesmo propósito, -Marte entra em Capricórnio a dar-nos a força para mover montanhas com base na nossa crença funda do que está certo e onde queremos chegar. Para além da acção é também preciso comunicação e é importante também nesta Lua Nova exprimir a vontade- que gostamos, em que apostamos, o que nos apaixona sem hesistação- com Mercúrio e Vénus conjuntos nesse dia em Carneiro, em trígono ao Nódulo Norte em Leão.Essas vontade já vêm depuradas de excessos de entusiasmos ou propósitos menos razoáveis porque nos dias anteriores à Lua Nova Vénus em Carneiro esteve em quadratura a Saturno em Capricórnio e nós a sentirmos os custos envolvidos em todas as apostas e a ter de refrear o desejo.

Da Lua Nova até ao equinócio dia 20 quando o Sol entra em Carneiro há uma permanente tensão, um teste para vermos de somos capazes de revelar de forma construtiva e não destrutiva o que queremos mudar na ordem das coisas, já que o Sol estará em quadratura a Marte seu regente recém entrado em Capricórnio. A frustração ou conflito, interno ou face a inimigos pessoais ou estruturais- também podemos estar a lutar contra a burocracia..- só se resolvem com um olhar diferente sobre as suas causas. A zanga tem de ser canalizada energicamente para a materialização de objectivos, com a ajuda no dia 20  do trígono de Marte à Lua em Touro.

De 14 a 21 temos assim a possibilidade de:

a-alinhar na Lua Nova de 17 a consciência com a sensibilidade e dar saltos de fé ou inspiração quanto ao que queremos concretizar e que foi objecto de avaliação instintiva desde dia 14.

b- dominar excessos e agir com propósitos bem definidos ou limitados para potenciar resultados e assim ultrapassar a frustração da quadratura de Vénus a Saturno e os conflitos da quadratura do Sol num solstício quadrado a Marte, particularmente difíceis, na véspera desse solstício,  dia 19 em que a Lua depois de fazer quadratura a Plutão faz conjunção a Urano: há emoções, instintos, impulsos que não são compatíveis com a nova ordem desejada e dia 19 seja porque nos esticamos, seja porque somos surpreendidos, teremos de rever dependências emotivas.

c- no dia 20, equinócio em que o Sol entra em Carneiro, agir com mais determinação na busca da materialização do que definimos como aspiração na Lua Nova. Mas essa afirmação de vontade só tem bons resultados se nada for deixado ao acaso e tudo fizer parte de um plano de futuro: o Sol faz quadratura a Marte seu regente conjunto a Saturno em Capricórnio,  com a Lua em Touro em trígono a Plutão também em Capricórnio, dia 21.

Resolvidas as dificuldades, dada a volta ás frustrações, cheios de paciência e sentido de ordem,  entramos numa nova estação do ano em que, porque Júpiter está retrógrado em Escorpião  em semi-quadratura a Saturno e sextil a Plutão as conquistas terão de ser em primeiro lugar conquistas sobre questões pendentes, sobre nós próprios, o que partilhamos financeiramente,  o poder que temos ou queremos ter, um nova consciência de quanto damos de nós próprios. Depois, com precisão e determinação, faremos as revoluções que essa consciência ditar.

Nestes dias vou de férias, celebrar o meu aniversário onde não há internet e a rede de transportes também não é brilhante…pode ser essa a minha frustração… Até breve!

 

 

Anúncios