É difícil ter posições consistentes neste arranque de semana em que apesar do desejo de segurança emocional, familiar, doméstica, nacional, tudo parece conjugar-se para nos surpreender com desenvolvimentos inesperados ou com as nossas próprias acções impulsivas, atrás da quadratura da Lua em Caranguejo a Vénus e a Urano em Carneiro, depois de um fim-de-semana agitado por tensões de vontades e resultados. Essas tensões não desaparecem esta segunda-feira, nem tão depressa. Marte e Saturno estão conjuntos em Capricórnio em quadratura ao Sol em Carneiro no que são aspectos de fortíssima tensão pessoal e colectiva, frustração de vontade, controlos ou restrições a iniciativas, em moldes que podem até ser violentos. Vénus em Carneiro em quincúncio a Júpiter em Escorpião estímula ainda mais a apetência por investimentos pessoais, políticos ou financeiros de grande atractivo mas de fracas garantias e a conjunção de Vénus a Urano até dia 28 – assim como a Éris, – planeta do caos- ontem hoje e amanhã, traduz-se numa verdadeira montanha russa de desejos e resultados, apenas controlável se formos nós a abrir mão da necessidade de estabilidade, posse material ou amarras emocionais. Nada dá garantias. Pelo final do dia a Lua entra em Leão e faz trígono ao Sol em Carneiro, um aspecto de Fogo que nos leva a querer reconhecimento pelo que defendemos e por quem somos. Mas a frustração, restrições, limites, responsabilidades mantêm-se.

Anúncios